Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

LW50, a nova “ponto 50″ do U.S. Army



Essa é a LW50, cujo peso é metade da M2 tradicional e um recuo 60% menor. A LW50 irá proporcionar aos soldados o poder de fogo da arma tradicional, com a comodidade de calibre 7.62mm. Seu desenvolvimento se beneficiou dos avanços conseguidos no programa do lançador de granadas XM307, de 25 mm, cancelado em 2007. Será capaz de usar todos os tipos de munição .50 (12,7mm) presentes no inventário do Exército dos EUA.

A LW50 deve pesar 29.5kg, com tripé, mecanismo de conteira e elevação, enquanto a M2 chega a pesar 58kg. O menor recuo da arma dispensa o uso de contrapeso e também diminui a dispersão dos tiros, gerando maior economia de munição. A maior precisão da arma possibilita manutenção mais simples, porque é formada por 131 partes, contra 244 da M2. Ela pode ser instalada nos mesmos reparos e já foi testada nos blindados da série Stryker.

O Comando de Operações Especiais (SOCOM) é outro que vai se beneficiar da nova arma, pois está desenvolvendo uma nova viatura leve que poderá usá-la, que ainda poderá ser desembarcada para apoiar a tropa.

A LW50 ainda está no estágio inicial de desenvolvimento, foi avaliada pelo SOCOM em março e maio passado, e só deve ser distribuída às unidades em 2011, começando pelo SOCOM e as unidades mais leves: 82ª Divisão Aerotransportada, 101ª Divisão Aerotransportada (Assalto Aéreo), 10ª Divisão de Montanha e a 25ª Divisão de Infantaria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas