Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

LW50, a nova “ponto 50″ do U.S. Army



Essa é a LW50, cujo peso é metade da M2 tradicional e um recuo 60% menor. A LW50 irá proporcionar aos soldados o poder de fogo da arma tradicional, com a comodidade de calibre 7.62mm. Seu desenvolvimento se beneficiou dos avanços conseguidos no programa do lançador de granadas XM307, de 25 mm, cancelado em 2007. Será capaz de usar todos os tipos de munição .50 (12,7mm) presentes no inventário do Exército dos EUA.

A LW50 deve pesar 29.5kg, com tripé, mecanismo de conteira e elevação, enquanto a M2 chega a pesar 58kg. O menor recuo da arma dispensa o uso de contrapeso e também diminui a dispersão dos tiros, gerando maior economia de munição. A maior precisão da arma possibilita manutenção mais simples, porque é formada por 131 partes, contra 244 da M2. Ela pode ser instalada nos mesmos reparos e já foi testada nos blindados da série Stryker.

O Comando de Operações Especiais (SOCOM) é outro que vai se beneficiar da nova arma, pois está desenvolvendo uma nova viatura leve que poderá usá-la, que ainda poderá ser desembarcada para apoiar a tropa.

A LW50 ainda está no estágio inicial de desenvolvimento, foi avaliada pelo SOCOM em março e maio passado, e só deve ser distribuída às unidades em 2011, começando pelo SOCOM e as unidades mais leves: 82ª Divisão Aerotransportada, 101ª Divisão Aerotransportada (Assalto Aéreo), 10ª Divisão de Montanha e a 25ª Divisão de Infantaria.
Postar um comentário