Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Contra a Dengue, Marinha visita mais de 50 mil imóveis no Rio



Brasília, 27/04/2009 – Com o objetivo de combater a dengue, a Marinha realizou, no período de 19 de janeiro a 24 de abril de 2009, 52.726 visitas a imóveis no município de São Gonçalo (RJ). No período, cerca de 100 militares visitaram os bairros de Barracão, Guarani, Ipiiba, Tiradentes, Largo da Idéia, Laranjal, Várzea das Moças, Arsenal, Antonia, São Miguel, Brasilândia, Porto da Pedra, Camarão e Porto Novo.

O treinamento teórico e prático para a operação foi efetuado no Comando do 1º Distrito Naval, de 13 a 15 de janeiro. Os militares foram divididos em grupos de dez, supervisionados por Agentes da Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo, órgão que forneceu o material utilizado durante a operação.

Nas ações, foram vistoriadas residências, comércios, terrenos baldios e pontos estratégicos, como borracharias, depósitos de ferro velho, igrejas, escolas, delegacias e hospitais. Foram eliminados os criadouros do “Aedes Aegypti” e tratados depósitos de água – ambiente propício à proliferação das larvas do mosquito – com borrifação de veneno. Moradores locais também foram orientados sobre como identificar, tratar e eliminar focos do inseto e as formas de evitar a ocorrência da doença.

Comentários

Luiz Maia disse…
Esse é o papel relegado à nossa valorosa Esquadra. Combater mosquitos, já que não possui meios navais e aéreos para defender o país, nem recursos para treinar adequadamente e com regularidade seu efetivo.

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas