Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Lula inclui caças entre os acordos com a França

O Estado de S.Paulo

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva incluiu "os aviões de caça" Rafale, da francesa Dassault, entre os acordos formalizados na Parceria Estratégica firmada entre o Brasil e a França. A citação ocorreu durante sua visita ao presidente Nicolas Sarkozy, no Palácio do Eliseu.

A menção foi feita no sábado à imprensa quando Lula relatava temas do encontro. Após dedicar amplo espaço à questão climática, ele lembrou da importância da Parceria Estratégica, cujo viés mais importante se concentra na área militar.

"Além de sermos amigos, precisamos ter um pensamento estratégico para os próximos 50, 100 anos", afirmou. "Começamos a estabelecer, nessa ideia da estratégia entre França e Brasil, os acordos dos submarinos, os acordos dos helicópteros, os acordos dos aviões de caça."

Lula fez referência indireta às demais empresas que participam da escolha Projeto F -X2 – a norte-americana Boeing, com o F-18 Super Hornet, e a sueca Saab, com o Gripen NG -, destinada à aquisição de 36 aviões de alta tecnologia para o reeequipamento da Força Aérea Brasileira (FAB). "É uma coisa complicada. Nós temos concorrentes e precisamos conversar com muito jeito."

Lula tem repetido declarações que mostram sua preferência pelo caça francês, mesmo com a análise técnica ainda aberta. Na véspera do Dia 7 de Setembro, quando ocorreu a segunda visita oficial de Sarkozy ao País, o governo brasileiro chegou a assinar um documento garantindo à Dassault e ao Estado francês "negociações privilegiadas" para aquisição das aeronaves.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas