Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Kremlin reconhece presença de tropas russas na fronteira ucraniana

Porta-voz nega que situação influencie ocorrências no leste do país vizinho.
Ucrânia tenta cumprir acordo que prevê desarmamento dos 'pró-Rússia'.


EFE

O Kremlin reconheceu a presença de tropas russas na fronteira com a Ucrânia, embora tenha negado que influam nos fatos no leste da Ucrânia, onde milícias pró-Rússia se sublevaram contra o governo de Kiev.

"Afirmar que estas tropas (russas) têm alguma relação ou exercem alguma influência nos fatos no leste da Ucrânia é absolutamente incorreto", assegurou Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin, em uma entrevista ao "Primeiro Canal" da televisão russa, na noite deste sábado (19) - no horário local.

Peskov ressaltou que "há tropas nas regiões fronteiriças com a Ucrânia, algumas delas enviadas de maneira permanente e outras são reforços à vista do que ocorre na mesma Ucrânia".

O porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, disse que na Ucrânia aconteceu um golpe de Estado, motivo pelo qual qualquer país teria tomado "medidas especiais de prevenção para garantir sua segurança".

Ele lembrou ainda que a Rússia, ao que o Ocidente acusa de instigar a sublevação no leste da Ucrânia, como país soberano, pode desdobrar tropas sem limite algum em qualquer ponto de seu território.

Por sua vez, qualificou como "positivo" o diálogo em Genebra (entre Ucrânia, Rússia, EUA e a União Europeia) e de "difícil exame" a aplicação dos acordos fechados na quinta-feira para estabilizar a situação no sudeste da Ucrânia.

O governo ucraniano assegura que começou a aplicar o acordo de Genebra e se manifestou disposto a aumentar as competências das regiões e a reconhecer o status oficial da língua russa, como pedem os pró-russos.

Enquanto isso, as milícias se negam por enquanto a depor as armas e desalojar os prédios oficiais na região de Donetsk, e põem como condição que os ultranacionalistas de Kiev também sejam desarmados e que o Maidan seja desmantelado.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas