Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Manifestantes de Lugansk dão ultimato ao governo da Ucrânia

Ativistas deram prazo até terça-feira, 27, para a liberação de todos os colegas presos


Diário da Rússia

Defensores da tese da federalização da Ucrânia, residentes na cidade de Lugansk, deram um ultimato, no domingo, 27, ao governo ucraniano. O Presidente do país, Olexander Turchynov, e o Primeiro-Ministro, Arseny Yatseniuk, têm prazo até as 14 horas de Kiev (8h em Brasília), da terça-feira, 29, para libertar todos os manifestantes do sudeste da Ucrânia que estão presos por se opor ao governo.

Além da soltura dos presos, mediante a concessão de ampla anistia, os ativistas de Lugansk também querem que o idioma russo seja adotado como segunda língua oficial da Ucrânia e que o governo federal marque um grande referendo nacional para que todas as regiões ucranianas se manifestem sobre suas autonomias e sobre a qual país desejam pertencer, se à Rússia ou à Ucrânia.

Os ativistas, integrantes de um grupo autodenominado Exército do Sudeste da Ucrânia que, em 6 de abril, ocupou prédios públicos do governo ucraniano nas cidades de Donetsk e Lugansk, ameaçam retaliar caso Kiev não atenda às suas exigências. Eles prometem realizar uma série de atos em vários pontos da Ucrânia sem especificar quais serão e em que dias, locais e horários acontecerão. Os manifestantes também pretendem denunciar as autoridades ucranianas junto a organismos como ONU e Anistia Internacional por crimes contra o povo.

Por sua vez, o governo ucraniano denunciou que muitos dos seus agentes de segurança foram capturados em Golovka, na região de Donetsk no sábado, 26, quando se preparavam para prender um homem suspeito de matar o deputado Vladimir Rybak. O crime aconteceu na primeira quinzena de abril. O parlamentar era considerado como aliado do governo federal da Ucrânia.

As autoridades ucranianas informaram que os suspeitos de sequestrar os agentes de segurança responderão, também, pelo crime de obstrução da Justiça.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas