Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Lugansk confirma retirada de armamentos pesados da linha de contato na Ucrânia

A autoproclamada República Popular de Lugansk (RPL), no leste da Ucrânia, confirmou nesta segunda-feira (23) que está retirando o seu armamento pesado da linha de contato com as tropas de Kiev, em conformidade com os acordos de Minsk alcançados este mês. A informação foi dada à Sputnik por um negociador da RPL envolvido nas negociações.


Sputnik

O cessar-fogo entre as forças independentistas e as tropas do governo ucraniano entrou em vigor no último dia 15 de fevereiro. Segundo o acordo, as partes têm de recuar seu armamento pesado a uma distância de 25 quilômetros a 70 quilômetros para a criação de uma zona tampão. 


Tanque em Lugansk
© Sputnik/ Valeriy Melnikov
Por telefone, o negociador da RPL Vladislav Deinego disse que as forças de Lugansk estavam prosseguindo com a retirada, e informou que o cessar-fogo em Donbass está sendo observado no geral, mas que tiros de morteiro isolados ainda são ocasionalmente ouvidos.

No domingo (22), o vice-comandante da autoproclamada República Popular de Donetsk, Eduard Basurin, disse que a retirada da artilharia pesada, de sua parte, começaria na terça-feira (24).

Por outro lado, o porta-voz militar de Kiev, tenente-coronel Anatoliy Stelmakh, anunciou hoje o adiamento da retirada do armamento pesado pelo Exército ucraniano e disse aos jornalistas que a operação não começaria até que os supostos ataques dos independentistas fossem totalmente encerrados. Segundo ele, houve dois ataques de artilharia por parte das forças emancipacionistas durante a noite. Stelmakh afirmou que, embora isso represente uma queda na comparação com os últimos dias, “enquanto os disparos contra as posições militares ucranianas continuarem, não será possível falar sobre uma retirada”.


Postar um comentário