Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Brasil negocia importação de sistema de segurança testado em Sôtchi-2014

Aparato, que deverá reforçar segurança durante os Jogos Olímpicos de 2016, inclui meios de defesa aérea, sistemas de comunicação e de cidade segura, entre outros.


RIA Nóvosti

A Rosoboronexport, empresa estatal responsável pelas vendas de equipamento militar ao exterior, está propondo a clientes estrangeiros, incluindo o Brasil, um sistema integrado de segurança semelhante ao utilizado nas Olimpíadas de Sôtchi, em 2014.


Brasil negocia importação de sistema de segurança testado em Sôtchi-2014
Sistema é composto por vários elementos: meios de defesa aérea, sistemas de cidade segura e sistemas de comunicação, entre outros Foto: RIA Nóvosti

“As negociações sobre a sua utilização já estão ocorrendo no Brasil, que está se preparando para os Jogos Olímpicos de 2016”, anunciou na segunda-feira passada (2) à rádio Ekho Moskvi o vice-diretor da Rosoboronexport, Serguêi Goreslávski.

“Trata-se de um sistema de segurança integrado e baseado em tecnologia russa. Ele está assentado sobretudo no sistema de segurança e defesa aérea Pantsir S-1, que foi aplicado com sucesso para garantir a tranquilidade durante os Jogos Olímpicos de Sôtchi”, acrescentou Goreslávski.

Segundo o vice-diretor da Rosoboronexport, o sistema é composto por vários elementos: meios de defesa aérea, sistemas de cidade segura e sistemas de comunicação, entre outros.

“Esperamos fechar ainda este ano o contrato com o Brasil para entrega do sistema de defesa antiaérea Pantsir”, arrematou Goreslávski.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas