Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Caças Su-30MKI indianos começarão a empregar míssil Brahmos em 2016

Primeiro caça modificado para lançamento do míssil foi oficialmente entregue há um mês, e testes em voo estão programados até o final deste ano


Poder Aéreo

Segundo o diretor executivo da Brahmos Aerospace, Sudhir Mishra, a versão lançada do ar do míssil indo-russo Brahmos começará a ser empregada pelos caças Sukhoi Su-30MKI indianos em 2016. A informação foi dada por Mishra ao informativo russo Sputnik News (nova denominação da RIA Novosti) na quarta-feira, 18 de março.

Brahmos em Su-30 - imagem via Brahmos Aerospace

A notícia surge praticamente um mês após cerimônia realizada no evento Aero India, no qual a estatal indiana de aviação HAL /Hindustan Aeronautics Limited) entregou o primeiro exemplar de Su-30MKI modificado para uso do míssil supersônico de emprego ar-superfície do tipo “dispare e esqueça” (fire and forget), em 19 de fevereiro.

Na ocasião, uma maquete de Su-30MKI foi simbolicamente entregue pelo “chairman” da HAL, T. Suvarna Raju, ao diretor executivo Sudhir Mishra da Brahmos, e diversos documentos da aeronave foram recebidos da HAL na presença de autoridades do Governo e da Força Aérea.

Quanto ao processo de integração em andamento, para o qual contribui a primeira aeronave modificada recebida o ano passado, Mishra afirmou ao informativo russo que “o míssil está agendado para ser adotado em 2016, e mais dez testes serão realizados até o final do ano.” O próximo teste de voo, nesse caso com o lançador do míssil, está programado para maio, e será seguido por voos com mísseis e testes de disparo, segundo o executivo.

No site da Brahmos Aerospace, contudo, permanecia até a publicação desta matéria a informação de que a introdução da variante do míssil lançada pelo Su-30MKI seria iniciada em 2015 (levando em conta testes iniciais de lançamento que deveriam começar em 2014). Texto de apresentação aparentemente mais antigo sobre o míssil, e ainda no ar no mesmo site quando da publicação desta reportagem, trazia datas ainda mais otimistas: começo de testes em voo em 2010 para introdução na Força Aérea Indiana em 2012.

O míssil utiliza propulsão do tipo “ramjet” para atingir velocidades máximas próximas a Mach 3 e voo supersônico de cruzeiro (em altitude elevada) ao longo de toda a sua trajetória, que pode chegar a 290km, atingindo seu alvo na fase terminal de voo (que se dá a cerca de 10m da superfície) com uma ogiva com peso entre 200 kg e 300 kg, que segundo o fabricante tem seu poder de destruição aumentado em várias vezes pela força cinética da velocidade da arma.


Postar um comentário