Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Jornal alemão iguala Bundeswehr à 'armazém de peças de reposição'

Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) está em profunda crise, enfrentando uma grave falta de investimento, noticia o Suddeutsche Zeitung.
Sputnik

Segundo o jornal, 20% dos candidatos a cargos oficiais abandonam o serviço nos primeiros seis meses e a seleção de 8.500 voluntários previstos no plano para o serviço militar vem enfrentando mais e mais dificuldades com o passar dos anos.

Na lista dos problemas, a maior preocupação corresponde ao financiamento do exército alemão. Segundo a publicação, o orçamento da defesa para 2018, no valor de 38,5 bilhões de euros (R$ 170,9 bilhões) parece suficiente apenas à primeira vista — o exército não tem dinheiro suficiente. Metade do orçamento é usada para suprir as necessidades dos oficiais, uns 18% são destinados aos custos operacionais e apenas 13% do orçamento é investido nas compras de defesa.

Em particular, a publicação observa uma redução acentuada no número de tanques de 4.500 no final da Guerra Fria para 225 unidades. O dinheiro investido é…

Caças Su-30MKI indianos começarão a empregar míssil Brahmos em 2016

Primeiro caça modificado para lançamento do míssil foi oficialmente entregue há um mês, e testes em voo estão programados até o final deste ano


Poder Aéreo

Segundo o diretor executivo da Brahmos Aerospace, Sudhir Mishra, a versão lançada do ar do míssil indo-russo Brahmos começará a ser empregada pelos caças Sukhoi Su-30MKI indianos em 2016. A informação foi dada por Mishra ao informativo russo Sputnik News (nova denominação da RIA Novosti) na quarta-feira, 18 de março.

Brahmos em Su-30 - imagem via Brahmos Aerospace

A notícia surge praticamente um mês após cerimônia realizada no evento Aero India, no qual a estatal indiana de aviação HAL /Hindustan Aeronautics Limited) entregou o primeiro exemplar de Su-30MKI modificado para uso do míssil supersônico de emprego ar-superfície do tipo “dispare e esqueça” (fire and forget), em 19 de fevereiro.

Na ocasião, uma maquete de Su-30MKI foi simbolicamente entregue pelo “chairman” da HAL, T. Suvarna Raju, ao diretor executivo Sudhir Mishra da Brahmos, e diversos documentos da aeronave foram recebidos da HAL na presença de autoridades do Governo e da Força Aérea.

Quanto ao processo de integração em andamento, para o qual contribui a primeira aeronave modificada recebida o ano passado, Mishra afirmou ao informativo russo que “o míssil está agendado para ser adotado em 2016, e mais dez testes serão realizados até o final do ano.” O próximo teste de voo, nesse caso com o lançador do míssil, está programado para maio, e será seguido por voos com mísseis e testes de disparo, segundo o executivo.

No site da Brahmos Aerospace, contudo, permanecia até a publicação desta matéria a informação de que a introdução da variante do míssil lançada pelo Su-30MKI seria iniciada em 2015 (levando em conta testes iniciais de lançamento que deveriam começar em 2014). Texto de apresentação aparentemente mais antigo sobre o míssil, e ainda no ar no mesmo site quando da publicação desta reportagem, trazia datas ainda mais otimistas: começo de testes em voo em 2010 para introdução na Força Aérea Indiana em 2012.

O míssil utiliza propulsão do tipo “ramjet” para atingir velocidades máximas próximas a Mach 3 e voo supersônico de cruzeiro (em altitude elevada) ao longo de toda a sua trajetória, que pode chegar a 290km, atingindo seu alvo na fase terminal de voo (que se dá a cerca de 10m da superfície) com uma ogiva com peso entre 200 kg e 300 kg, que segundo o fabricante tem seu poder de destruição aumentado em várias vezes pela força cinética da velocidade da arma.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas