Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Conversações oficiais da Eslováquia para alugar caças Gripen suecos

Poder Aéreo

Na quarta-feira, 18 de março, o Governo da Eslováquia atribuiu ao ministro da Defesa Martin Glvac a tarefa de iniciar conversações oficiais sobre o aluguel de horas de voo de caças Gripen com a Suécia. A informação foi noticiada pelas agências SITA e Xinhua, repercutindo em outros meios.


caças Gripen suecos na Sicília - foto Saab

No final de janeiro, a Xinhua já havia noticiado uma confirmação, por parte de Glvac, sobre o início das conversas após este ter se encontrado com sua contraparte sueca, Peter Hultqvist. Já a notícia mais recente dá conta de que, para o Governo Eslovaco, a Suécia é o único país a oferecer um acordo de aluguel de horas de voo. Glvac também afirmou que a Eslováquia não tem condições de comprar novos caças.

De acordo com a agência SITA, o ministro afirmou que seu ministério procurou diversos fabricantes e governos, mas “o único parceiro que preenche nossas atuais condições é o Governo Sueco, e o fabricante dos caças Gripen.”

Ainda será preciso detalhar os custos e número de aeronaves para operação na Eslováquia, que atualmente voa um pequeno número de jatos MiG-29. Sobre estes, o ministro Glvac disse que ainda haveria a possibilidade de prosseguir com sua operação para além do prazo estabelecido de novembro de 2016, havendo também a opção da Eslováquia acordar, com algum aliado, a proteção de seu espaço aéreo. Vale lembrar que o país busca uma cooperação com a vizinha República Tcheca, que recentemente renovou o contrato de “leasing” dos 14 caças Gripen operados por sua força aérea, para compartilhamento da defesa do espaço aéreo de ambas as nações.

A negociação do Governo Sueco com os eslovacos e as possibilidades de novos negócios para o caça foram assuntos abordados no recente seminário anual do Gripen, realizado no último dia 12 pela Saab, fabricante da aeronave. Jerker Ahlqvist, chefe da área de negócios do Gripen na Saab, confirmou as negociações de contrato entre o Governo Sueco e a Eslováquia, acrescentando que há uma expectativa de serem finalizadas neste ano. Não tão cedo assim, mas num horizonte de dois a três anos, espera-se uma definição da Bulgária quanto à substituição de seus caças, e o país tem demonstrado um grande interesse pelo Gripen, segundo Ahlqvist.


Postar um comentário