Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Coreia do Norte lança dois mísseis ao mar, Japão protesta

A Coreia do Norte lançou esta segunda-feira dois mísseis de curto alcance com destino ao mar de Japão em resposta aos exercícios militares dos EUA e a Coreia do Sul que começam hoje, relata a Reuters.


Sputnik

Conforme a mídia, os mísseis, com raio de ação de 490 quilômetros, foram disparados entre as 6h30 e 6h41, hora local (18h30 e 18h41 de Brasília) da cidade portuária de Nampo.


Coreia do Norte lança dois mísseis
© AP Photo/ Lee Jin-man
Anteriormente a Coreia do Norte tinha informado que introduzia uma moratória para testes nucleares caso os EUA e a Coreia do Sul tivessem desistido das manobras militares.

Os exercícios americano-sul-coreanos de grande escala Key Resolve terminarão em meados de março, enquanto os Foal Eagle durarão até o fim de abril.

O governo do Japão já manifestou seu protesto por este lançamento de mísseis, informa a agência Kyodo.



Postar um comentário