Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Coreia do Norte lança dois mísseis ao mar, Japão protesta

A Coreia do Norte lançou esta segunda-feira dois mísseis de curto alcance com destino ao mar de Japão em resposta aos exercícios militares dos EUA e a Coreia do Sul que começam hoje, relata a Reuters.


Sputnik

Conforme a mídia, os mísseis, com raio de ação de 490 quilômetros, foram disparados entre as 6h30 e 6h41, hora local (18h30 e 18h41 de Brasília) da cidade portuária de Nampo.


Coreia do Norte lança dois mísseis
© AP Photo/ Lee Jin-man
Anteriormente a Coreia do Norte tinha informado que introduzia uma moratória para testes nucleares caso os EUA e a Coreia do Sul tivessem desistido das manobras militares.

Os exercícios americano-sul-coreanos de grande escala Key Resolve terminarão em meados de março, enquanto os Foal Eagle durarão até o fim de abril.

O governo do Japão já manifestou seu protesto por este lançamento de mísseis, informa a agência Kyodo.



Postar um comentário