Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

EUA aumentam sanções a indivíduos e instituições por conflito na Ucrânia

Os Estados Unidos expandiram as medidas restritivas contra o movimento separatista, no leste da Ucrânia, e aplicaram sanções a um grupo de líderes, ao banco da Crimeia e ao grupo nacionalista da Rússia, que supostamente estaria recrutando combatentes para lutar no conflito.


Sputnik

As últimas sanções, que impossibilitam as pessoas de viajarem e congela ativos, provavelmente terão pouco efeito no conflito no leste da Ucrânia ou no suposto apoio de Moscou aos rebeldes — o Kremlin segue negando envolvimento. As medidas têm como alvo alguns indivíduos ou entidades já penalizadas pela União Europeia e não afetam empresas russas, líderes do Kremlin ou setores da economia.


Barack Obama, presidente dos Estados Unidos
© REUTERS/ Jonathan Ernst
Washington e seus aliados europeus já prepararam uma série de sanções econômicas contra Moscou. Por enquanto, as medidas têm penalizado apenas a economia da Rússia.

No entanto, autoridades dos Estados Unidos indicaram que as sanções podem aumentar, caso o atual cessar-fogo no leste da Ucrânia seja interrompido. Ontem, durante sessão no Congresso dos EUA, autoridades do governo americano criticaram o Kremlin por continuar a fornecer armas ao grupo separatista.

Ao anunciar as últimas sanções, o Departamento do Tesouro culpou os separatistas armados por atacar cidades fora de seu território, violando o acordo de cessar-fogo.


Postar um comentário