Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Forças armadas russas concluem um dos maiores exercícios militares dos últimos tempos

Cerca de 80 mil soldados, mais de 200 aeronaves e dezenas de navios de guerra e submarinos participaram das manobras.


Sputnik

Estão chegando ao fim neste sábado os exercícios do exército russo, realizadas em grande escala na parte europeia da Rússia, no âmbito da verificação surpresa de prontidão de combate da Frota do Norte da Marinha, das divisões do Círculo Militar do Oeste e das Tropas Aerotransportadas, informou o ministério da Defesa da Federação da Rússia.

Frota do Norte da Rússia
© Foto: Alexey Pavlov

Os exercícios começaram em 16 de março, por determinação do comandante supremo das Forças Armadas da Rússia, Vladimir Putin. Elas foram realizadas com objetivo de verificar a prontidão das tropas e da avaliação das possibilidades de deslocamento das forças armadas das regiões centrais do país para o Ártico em condições climáticas adversas.

O ministro da Defesa da Rússia, general do exército Sergei Shoigu, informou que 76 mil militares, mais de 10 mil unidades de tanques, 65 navios de guerra, 16 navios de suporte, 15 submarinos e mais de 200 aeronaves participaram da verificação surpresa.

Ao anunciar o início dos exercícios, Shoigu explicou que “os novos desafios e ameaças de segurança militar exigem a continuidade do aumento do potencial de combate das forças armadas, bem como uma especial atenção às condições das unidades estratégicas recém renovadas no norte”.

Shoigu destacou que, em paralelo aos exercícios no norte, foram realizados treinos de surpresa nos Círculos Militares Oeste, Sul, Central e Leste, com deslocamento de tropas por todo o país.

“Foi verificada a possibilidade de deslocamento e aumento do contingente militar no Ártico, Báltico e Crimeia”, concluiu o ministro.


Postar um comentário