Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Fox News: para salvar a Ucrânia é necessário 'matar tantos russos quanto possível'

Os EUA devem ajudar Kiev a destruir o maior número de soldados russos, "entrincheirados na Ucrânia", disse o analista militar da Fox News, Bob Scales.


Sputnik

“Na Ucrânia já está tudo decidido. Os Estados Unidos só podem ter alguma influência na região e virar a maré da situação de uma única maneira — começar a matar russos. Matar tantos russos até que as mídias de Putin não consigam esconder o fato de os soldados voltarem para casa em sacos para cadáveres”, respondeu Scales à pergunta sobre ajuda americana à Ucrânia.


Bob Scales na Fox News
© Fox Business Channel
Ele acrescentou ser pouco provável que isso vá acontecer, dado ao nível de apoio que os EUA fornecem aos ucranianos e a “possibilidade de os ucranianos atacarem os 12.000 soldados russos”.

Conforme publicado anteriormente, os EUA planejam enviar para a Ucrânia no período de março-outubro de 2015 pelo menos 300 militares para cooperar com o exército ucraniano. A informação foi divulgada num documento publicado no site norte-americano de contratos públicos.



Postar um comentário