Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Irã enviou mais de 30 mil soldados para lutar contra o EI no Iraque, denunciam curdos

Soldados iranianos estariam atuando disfarçados de milicianos xiitas


O Globo

BAGDÁ - O Irã teria enviado cerca de 30 mil soldados e autoridades militares para lutar contra o Estado Islâmico no Iraque, denunciaram autoridades curdas no país. Segundo o chefe da Comissão Parlamentar de Segurança e Defesa do país, Shakhawan Abdullah, disse à rede al-Jazeera, a ajuda iraniana vai muito além consultoria militar.




Em entrevista à rede do Qatar, Abdullah afirmou que fontes curdas relataram a presença de combatentes iranianos lutando em nome da milícia Forças de Mobilização Popular. A organização tem mais de 100 mil voluntários e é composta por grupos xiitas, maioria religiosa no país. Os iranianos estariam realizando operações em várias cidades e lutando na linha de frente em locais como Tikrit, onde nasceu o ex-ditador Saddam Hussein.

O Irã sempre negou que estivesse enviando soldados ao Iraque para lutar contra o EI, que é sunita e representa uma ameaça para o país caso avance até a fronteira. Os EUA já haviam denunciado a interferência iraniana. Milícias xiitas foram acusadas várias vezes de matar civis ao longo da luta contra o EI.

A ofensiva em Tikrit mobilizou mais de 30 mil homens na maior operação anti-EI do Iraque até então. Além de milícias xiitas, grupos sunitas moderados e paramilitares dão apoio ao Exército e à polícia do Iraque. Um dos iranianos envolvidos é o general Qassem Soleimani, da Guarda Revolucionária, que presta consultoria militar ao país.


Postar um comentário