Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Rússia: EUA provocaram combates em Idlib para impedir o avanço sírio em Deir ez-Zor

Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib, informou o ministério da Defesa da Rússia nesta quarta-feira.
Sputnik

Segundo o ministério russo, a ofensiva terrorista foi uma manobra dos serviços de inteligência dos EUA para impedir o avanço das tropas sírias em Deir ez-Zor.


Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib.

"Apesar dos acordos assinados no dia 15 de setembro em Astana, os combatentes da Frente al-Nusra e seus aliados, que se negaram a cumprir as condições do regime de cessar-fogo, iniciaram uma ampla ofensiva contra as tropas governamentais, a partir das 8hs da manhã do dia 19 de setembro, ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib", informa o comunicado.

Durante o dia, os terroristas conseguira…

Moscou: afirmações da Ucrânia sobre retirada de armas pesadas são blefe

Kiev violou mais uma vez grosseiramente os acordos de Minsk, todas as declarações das autoridades ucranianas sobre a retirada de armas pesadas são blefe, disseram no sábado representantes do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.


Sputnik

O ministério analisou com preocupação o vídeo da agência Reuters onde se viam armas pesadas do exército ucraniano na linha de frente no leste da Ucrânia. A julgar pelas imagens, o batalhão Azov usou obuses D-30 de calibre 122 milímetros, com alcance de até 22 quilômetros, diz o documento do ministério. Além disso, o vídeo foi feito na região da aldeia Shirokino, que deve estar no foco da missão especial da OSCE.


Armas pesadas na linha de frente no leste da Ucrânia
© Sputnik/ Den Levi

Assim, observou o ministério, “a declaração das autoridades ucranianas, que todas as armas pesadas foram retiradas, vira novamente um blefe".

“A Rússia apela mais uma vez à parte ucraniana não enganar a opinião internacional e cumprir fielmente suas obrigações no âmbito dos acordos de Minsk”, sublinhou o ministério.


Postar um comentário