Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Omã tenta persuadir Arábia Saudita a interromper operação no Iêmen

Mascate está lançando mão de consideráveis esforços diplomáticos para convencer Riad a suspender os ataques aéreos sobre o Iêmen e retornar à mesa de negociações, segundo informou hoje à agência Sputnik uma fonte ligada ao governo de Omã.


Sputnik


Área destruída por ataques da coalizão internacional liderada pela Arábia Saudita no Iêmen
© AP Photo/ Hani Mohammed

Na última quinta-feira, a coalizão de países árabes liderada pela Arábia Saudita começou a realizar vários bombardeios em áreas dominadas pelos rebeldes houthis, que atualmente controlam grande parte do território do Iêmen, incluindo a capital Sanaa. A operação, que conta com a participação de Bahrein, Catar, Egito, Jordânia e Sudão, foi requisitada pelo presidente iemenita Abed Rabbo Mansour Hadi, forçado a deixar o cargo, por militantes houthis, no final de janeiro.

No entanto, para diplomatas de Omã, se as hostilidades no Iêmen não forem interrompidas imediatamente, inclusive com a suspensão dos ataques da coalizão, o conflito no país poderá ter um impacto negativo em toda a região.

Segundo dados divulgados ontem pelo Human Rights Watch, os bombardeios aéreos internacionais já causaram a morte de 34 civis no Iêmen.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas