Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Países da UE adiam decisão sobre extensão de sanções

Cúpula desta semana não tratará de medidas punitivas, que já completam um ano.


Gazeta Russa

Líderes dos países da União Europeia concordaram em cancelar a decisão acerca de um prolongamento das sanções contra a Rússia em sua cúpula nesta semana, segundo o The Wall Street Journal.


Países da UE Adiam decisão Sobre Extensão de sanções

"Ficaram claros contornos de entendimento político entre os países da UE, o que permite à Europa evitar divergências sobre política em relação à Rússia. Para tanto, decidiu-se postergar a aprovação da resolução sobre o prolongamento das sanções econômicas contra Moscou", lê-se no jornal norte-americano.

A agência financeira Bloomberg já havia revelado que sete países europeus iriam se manifestar contra a extensão das sanções.

As primeiras medidas de punição pela crise ucraniana foram impostas à Rússia há um ano. Em resposta a essas, Moscou colocou embargos contra produtos alimentares provenientes da União Europeia.


Postar um comentário