Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Político francês: é preciso entregar Mistral à Rússia o mais breve possível

Agora a situação é mais favorável para cumprir o mais cedo possível o contrato de fornecimento de navios porta-helicópteros tipo Mistral à Rússia, opina em entrevista à Sputnik o líder do partido Levantar a República (Debout la France), Nicolas Dupont-Aignan.


Sputnik

“Se fosse eu, entregava já os Mistral. Considero como um erro a decisão de não fornecer o primeiro navio. Apesar disso, na minha opinião é preciso levantar as sanções contra a Rússia agora mesmo, altura em que a situação na Ucrânia está se acalmando. É preciso fornecer os navios de tipo Mistral o mais breve possível”, disse Nicolas Dupont-Aignan, esperando que a questão seja resolvida até o verão.


Sevastopol e Vladivostok, os dois navios da classe Mistral encomendados pela Rússia
© AFP 2015/ EAN-SEBASTIEN EVRARD
A Rosoboronexport e os estaleiros navais franceses DCNS assinaram o contrato para a construção de dois porta-helicópteros em junho de 2011. O valor do contrato é 1,2 bilhões de euros.

A França deveria ter sido entregado o primeiro navio de desembarque Vladivostok em14 novembro de 2014. O segundo navio deverá ser entregado até o final de 2015.

Mais cedo o presidente francês, François Hollande, disse que decidiu suspender a entrega do primeiro dos navios (Vladivostok) por causa da situação na Ucrânia. Por sua vez, a Rússia declarou que está à espera do navio ou da restituição do dinheiro.

A Rússia está à espera dos navios ou do retorno do dinheiro.

Atualmente os Estados Unidos estão contra a entrega dos navios. Paris, por um lado, alegou que deve executar o contrato com a Rússia, e, por outro, relaciona a entrega dos navios com o progresso na resolução da situação na Ucrânia.

Um fonte de Sputnik na indústria naval comentou que os EUA propuseram aos estaleiros DCNS construir um avião civil norte-americano.



Postar um comentário