Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Segundo Mistral da Rússia já singra o Atlântico. Sem russos a bordo…

Poder Naval
O Sebastopol, segundo navio de projeção de força e comando da classe Mistral construído para a Esquadra da Rússia, deixou o porto francês de Saint-Nazaire ao meio-dia desta segunda-feira (16.03), para a sua primeira travessia em mar alto. Não há russos a bordo. Somente funcionários do estaleiro STX, que o construiu, além de uma pequena guarnição da Marine Nationale.


VLADIVOSTOK-on-22-04-2014-at-ST-Nazaire-8.-Van-Ginderen

Sabe-se que a rota que vem sendo cumprida pelo novo Mistral é monitorada, as 24 horas do dia, por aeronaves e navios de superfície da Armada francesa.

As medidas de segurança parecem indicar que as autoridades de Paris temem alguma ação-relâmpago destinada a se apoderar do navio – mas diplomatas franceses consideram a hipótese remotíssima.

O Sebastopol e seu irmão-gêmeo Vladivostok – que se encontra parado desde novembro em um cais de Saint-Nazaire – não têm data para serem entregues ao governo de Moscou. Ambos foram incluídos entre as sanções decretadas pela administração François Hollande contra a política hostil do presidente Vladimir Putin em relação à Ucrânia.

Os detalhes da viagem do Sebastopol são, por conta disso, considerados sigilosos. A previsão é de que o barco retorne a seu atracadouro no fim de semana.

As duas embarcações classe Mistral foram vendidas pela indústria naval francesa, em 2011, por 1,2 bilhão de Euros (4 bilhões 128 milhões de Reais).

O próximo período de provas de mar a ser cumprido pelo Sebastopol foi marcado para o mês de abril.


Postar um comentário