Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Senadora norte-americana anuncia prazo de fornecimento de armas à Ucrânia

O presidente dos EUA Barack Obama poderá tomar em breve a decisão sobre o fornecimento de armas à Ucrânia, disse a senadora do Ohio Marcy Kaptur, em entrevista ao canal de televisão ucraniana TSN.


Sputnik

Segundo ela, Obama está muito preocupado com as perdas do exército ucraniano, mas agora ele tem que dar um pouco de tempo para tomar essa decisão.


Militares ucranianos
© AFP 2015/ ANATOLII BOIKO / AFP

"Eu realmente não posso falar por ele, mas é muito importante.:. A Ucrânia demonstra a sua vontade de convencer o mundo de que as suas unidades militares não são aqueles que chegaram lá graças ao governo russo e que não há vazamento de informações. Nós, como país, contribuimos para o treinamento do exército ucraniano e, portanto, os soldados sabem como enfrentar o inimigo, mesmo com as mãos vazias. E eu acho que o presidente deve ter um pouco mais de tempo" disse ela.

No entanto, Kaptur expressou confiança de que o presidente norte-americano resolverá em breve o problema.

"Acho que não demorará muito. Esta manhã eu, com todos os meus colegas, assinamos uma carta ao presidente Obama da parte do Comitê de Cooperação para a Defesa. Pedimos-lhe para alterar o calendário, não importa o calendário que ele tinha em mente, é preciso que autorizem agora mesmo enviar as armas", disse a senadora.


Postar um comentário