Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Tropas russas receberão novos helicópteros-espiões

Veículos possuem estação de interferência ativa “Richag-AB” instalada a bordo, capaz de proteger as mais diferentes peças militares contra ataques aéreos e cegar completamente o inimigo em um raio de centenas de quilômetros.


Tatiana Russakova | Gazeta Russa

O Grupo Empresarial de Tecnologia Radio-eletrônica preparou três sistemas de helicópteros Mi-8MTPR-1 para transferência ao Exército. Todos foram projetados pensando na investigação e supressão de sistemas radio-eletrônicos de controle de tropas e na localização de inimigo em terra.


Tropas russas receberão novos helicópteros-espiões
Sistemas de helicópteros Mi-8MTPR-1 Foto: Vitáli Lankov/RIA Nóvosti

Para tanto, os novos veículos possuem uma estação de interferência ativa “Richag-AB” instalada a bordo. Além de proteger as mais diferentes peças militares contra ataques aéreos, a estação “Richag-AB” é capaz de cegar completamente o inimigo em um raio de centenas de quilômetros.

Essa estação conta também com banco de dados com informações sobre várias instalações militares, o que lhe permite determinar o tipo de alvo e adaptar a ele as interferências mais eficazes.

Graças à sua versatilidade, pode ser instalada em helicópteros e aviões, assim como em objetos parados terrestres ou em movimento, inclusive em navios.

O antecessor do novo sistema de helicópteros é uma estação de interferência ativa para a proteção de grupo de aviação “Smalta”, que foi desenvolvida na década de 1970. A estação era localizada em um reboque de automóvel UAZ, e seu o raio de ação era de apenas 100 km.


Postar um comentário