Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Versão Block II do caça JF-17 completa sua primeira bateria de testes

Poder Aéreo

Em testes desde o seu voo inaugural, a 7 de fevereiro passado, o primeiro protótipo do caça sino-paquistanês JF-17 Block II – número de série 2P01 – completou uma primeira bateria de inspeções e provas, onde foram verificados, entre outros sistemas, o seu novo radar KLJ-7 (Type 1478) modificado, o pod jammeador KG300G – mais potente que o modelo instalado na versão básica do avião – e o sistema de reabastecimento em voo.


JF-17 MK2 - 1

A 19 de fevereiro foi aprontado o segundo protótipo – matrícula 2P02 – e logo depois o terceiro (2P03). O Block II teve também aumentada a sua capacidade de carregar e operar armas guiadas, todas fabricadas na China. São igualmente chineses o radar, fabricado pelo Nanjing Research Institute of Electronic Technology, e o equipamento, transportado externamente pelo caça, para o despistamento (jamming) de mísseis inimigos, produzido pelo Southwest Institute of Electronic Equipment, da cidade de Chengdu.

O protótipo 01 alçou voo com um atraso de oito meses em relação ao cronograma original. Em maio de 2011 a Força Aérea Paquistanesa encomendou 50 JF-17 Block II ao Complexo Aeronáutico Paquistanês (PAC) da cidade de Kamra.

Contramedidas - Em uma curta declaração ao site de notícias do grupo britânico Jane’s, especializado em assuntos militares, o Comodoro do Ar Ahsan Rafiq, ex-chefe da Unidade de Avaliação e Testes do JF-17 (hoje encarregado do setor de Operações da diretoria de Projetos do programa JF-17) ressaltou que, além do sistema AAR (air-to-air refuelling), o Block II possui um equipamento apto a ampliar o fornecimento de oxigênio na cabine – possibilitando ao piloto permanecer por mais tempo no ar – e “um sistema de contramedidas eletrônicas bastante melhorado”.

O preço unitário do JF-17 Block II foi estimado em um valor a partir de 30 milhões de dólares.

Caso a aeronave supere sem grandes problemas o cronograma de testes de equipamentos e de ensaios em voo previsto para este ano, as primeiras unidades de série destinadas aos esquadrões paquistaneses deverão estar disponíveis para entrega no último quadrimestre de 2016.

Aparentemente, esse é o modelo que está sendo oferecido pelo grupo chinês Chengdu Aerospace Corporation (CAC) à Força Aérea da Argentina, ainda que exista a previsão de um JF-17 Block III para o ano de 2018.


Postar um comentário