Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Análise: nova geração de sistemas de defesa antiaérea russos

DefesaNet

A garantia da segurança nacional eficiente é impossível sem um sistema de defesa antiaérea confiável. Hoje, isso é um axioma. As múltiplas incursões aéreas, inclusive com utilização de armas de alta precisão, aviões e modernos veículos aéreos não tripulados nivelam totalmente a capacidade operacional de outros ramos das Forças Armadas.

Sendo líder tradicional nesta área, a Rússia, representada pela Rosoboronexport, apresenta os sistemas mais modernos de todas as classes destinados a uma proteção segura dos centros industriais e administrativos, focos de infra-estrutura, agrupamentos de tropas e bases militares, jazidas de minérios e outros pontos estratégicos.

Os sistemas de defesa antiaérea russos são desenvolvidos em função das mais recentes tendências de evolução dos meios de ataque pelo ar, caracterizam-se por alto potencial de modernização e por isso podem defender o espaço aéreo nacional durante um longo período de tempo. Assim sendo, determinados sistemas, radares e postos de comando podem ser facilmente integrados aos sistemas nacionais de antiaérea existentes.

Interceptação de longo alcance

Umdos aparatos antiaéreos mais poderosos oferecidos hoje pela "Rosoboronexport é o sistema de mísseis antiaéreos de longo alcance Antei-2500. Graças às mais recentes inovações de projetistas russos o Sistema é capaz de destruir alvos à distância de até 350 km e à altitude de até 30 km. Nenhum exportador no mercado mundial pode oferecer um sistema com características iguais.




Uma outra particularidade distintiva do sistema é a sua capacidade de interceptação segura, tanto de todos os alvos aerodinâmicos existentes e atualmente desenvolvidos como de mísseis balísticos de médio alcance com distância de lançamento de até 2.500 km e velocidade de voo de até 4.500 m/s. Portanto, o Antei-2500 é capaz de cumprir missões do sistema antimíssil tático.

Os radares próprios de detecção circular e setorial de alvos oferecem ao Antei-2500 plena autonomia de operação. A instalação de todos os elementos do sistema sobre veículos unificados de lagartas todo-terreno proporciona excelente mobilidade à defesa antiaérea. O tempo de entrada em operação do sistema em marcha não leva mais de 5 minutos. Em função das preferências do cliente, é possível a instalação dos elementos do Sistema sobre veículos de rodas.

Morte aos mísseis de cruzeiro

O Sistema multifuncional de mísseis antiaéreos de médio alcance BUK-M2E na composição de uma bateria de mísseis de 6 lançadores autopropulsados pode atacar simultaneamente até 24 alvos (graças ao uso de modernas antenas do tipo matriz faseada) à distância de até 45-50 km e à altitude de 15 m a 25 km. Velocidade máxima de alvos atacados é de 1200 m/s.




O BUK-M2E, sendo equipado com o radar de iluminação e guiamento com antena levantada por meio do mastro telescópico à altura de 20 metros, é altamente eficiente no combate aos mísseis de cruzeiro em voo a altura ultra-baixa. O sistema pode atuar em áreas sob o efeito de fortes contramedidas eletrônicas, inclusive de interferências intensas.

Uma particularidade única do Sistema BUK-M2E é a sua capacidade de destruir alvos navais e terrestres detectáveis por radar, conforme provado durante vários ensaios e exercícios.

Os lançadores autopropulsados podem operar sendo controlados pelo posto de comando ou de modo autônomo. O tempo de entrada/saída de operação não leva mais de 5 minutos. Após a mudança da posição de tiro, o Sistema está pronto para operação dentro de 20 segundos.

Lançamento instantâneo

O Sistema multicanal de mísseis antiaéreos de curto alcance TOR-M2E frequentemente admirava delegações estrangeiras por sua velocidade de tiro. Um veículo de combate do sistema efetua um lançamento praticamente simultâneo de quatro mísseis que destroem quatro alvos voando de direções diferentes. O tempo de resposta do TOR-M2E realmente admira os peritos.



Além disso, uma bateria composta de 4 veículos de combate pode destruir facilmente 16 alvos à distância de até 15 km e à altitude de até 10 km, mesmo numa situação aérea complexa e num ambiente de interferências eletrônicas intensas. O sofisticado radar permite detectar alvos com baixa seção transversal do radar (RCS), inclusive desenvolvidos com aplicação da tecnologia STEALTH. 

O reconhecimento por radar autônomo, assim como a identificação de alvos aéreos podem ser realizados em movimento, enquanto o lançamento de mísseis é efetuado com curtas paradas. O alto grau de automatização e os algoritmos de operação únicos permitem reduzir ao mínimo o envolvimento da guarnição. O veículo de combate TOR-M2E no modo autônomo detecta alvos, seleciona os mais perigosos, rastreia e determina a sequência e momento de destruição.

O Sistema TOR-M2E, como o BUK-M2E em função das preferências do Cliente pode ser fornecido na versão de lagartas ou de rodas.

Poder de fogo dobrado

O Sistema multicanal de mísseis e canhões antiaéreos de curto alcance «Pantsir-S1» é fruto do desenvolvimento ulterior do famoso Sistema Tunguska-M1. A sua capacidade operacional permite combater todos os tipos de modernos veículos aéreos tripulados e não tripulados, inclusive as armas de ataque aéreo de alta precisão.




Uma das principais particularidades do Sistema é a combinação de mísseis e canhões que permite criar uma zona de destruição total de alvos e efetuar ataques contínuos dos alvos desde a distância máxima de 20 km até a distância de 200 metros, às alturas de 5 metros a 15 km.

Uma bateria composta de seis veículos de combate capaz de destruir simultaneamente até 24 alvos voando à velocidade de até 1000 m/s. O sistema multimodo radar/ótico adaptativo de controle de armas proporciona alta resistência a contramedidas e capacidade de sobrevivência, assim como confiabilidade de operação.

O Pantsir-S1 igualmente pode ser usado para destruição de alvos terrestres e navais de blindagem leve e força viva do inimigo. O princípio modular da configuração permite fornecer o Sistema sobre diferentes tipos de chassis, assim como na versão fixa.

Nas últimas linhas

Aqui o papel principal cabe aos sistemas portáteis de mísseis antiaéreos. É praticamente impossível detectá-los, são empregados de surpresa das posições não preparadas e possuem alta precisão. Na Rússia esses armamentos são projetados desde os anos 1960. Trata-se da enorme experiência de desenvolvimento e emprego operacional.



O IGLA-S distingue-se dos modelos anteriores que equipam as Forças Armadas de muitos países do mundo por uma massa aumentada do explosivo e uma maior quantidade de estilhaços, maior precisão e alcance maior – de 6 km. A particularidade desse sistema é o uso da espoleta de aproximação que aumenta substancialmente a probabilidade de destruição de alvos pontuais.

Para a operação eficiente de dia ou à noite o IGLA é dotado da mira noturna. Isso é especialmente importante levando em conta que nas ações de guerra modernas uma atenção especial é dedicada à realização de incursões durante a noite.



Postar um comentário