Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Analista ucraniano propõe assassinar jornalistas russos para 'salvar a Ucrânia'

O analista e cientista político ucraniano Yuri Romanenko declarou que está na hora de as Forças Armadas da Ucrânia começarem uma campanha para matar os jornalistas russos em Donbass, de forma a atrair a atenção da mídia global.


Sputnik

Ao lembrar uma recente conversa na Universidade de Harvard, Romanenko escreveu na sua página de Facebook que ele propôs aos seus colegas que o Exército da Ucrânia impeça a cobertura russa da guerra em Donbass alvejando intencionalmente os jornalistas russos que operam na região:

“Eu sei como resolver o problema de falta de atenção e como aumentar o interesse da mídia. O Exército ucraniano deve seletiva e cuidadosamente eliminar os jornalistas russos que cobrem a situação em Donbass. Temos que dirigir os atiradores para disparar contra as pessoas com inscrição IMPRENSA nos capacetes, fazendo deles o seu alvo prioritário.”


Situação na região de Donetsk
© Sputnik/ Andrei Stenin
Desta forma, Romanenko espera reduzir a "eficácia da propaganda". Mas os seus colegas de Harvard rejeitaram a proposta completamente, notando que o assassinato deliberado de jornalistas é uma violação do direito internacional.

Ao comentar a decisão dos colegas de Harvard, Romanenko e a delegação ucraniana sorriram e argumentaram que, quando a Rússia repetidamente estava violando o direito internacional em relação à Ucrânia, "vocês não pareciam muito preocupados… então por que se devem preocupar agora?"

O jornalista também declarou que, após a conversa, um homem ucraniano lhe disse que “tem toda a razão, esta é a via certa para salvar a Ucrânia”.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas