Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Estados Unidos tentam fortalecer sua influência no Oriente Médio

O vice-presidente norte-americano, Joe Biden, prometeu entregar a Israel caças avançados para o país manter a sua vantagem militar no Oriente Médio.


Sputnik

A declaração foi feita na quinta-feira (24) num discurso de Joe Biden durante as comemorações da independência de Israel:

“No próximo ano, vamos entregar a Israel o caça F-35 Joint Strike <…> tornando Israel o único país do Oriente Médio com uma aeronave da quinta geração”.


Lockheed Martin F-35 Joint Strike Fighter
© AP Photo/ LM Ottero

Ele também declarou que nenhum presidente norte-americano fez mais para apoiar Israel do que Barack Obama, o que é evidenciado pelo fato de que o governo de Obama tem proporcionado Israel com US$ 20 bilhões em ajuda militar.

As autoridades dos EUA e líderes israelenses continuam a discutir formas de Israel para manter a sua vantagem qualitativa nas capacidades militares sobre os rivais na região, Biden acrescentou.

O vice-presidente comentou a situação sobre o compromisso do governo Obama de fechar um acordo nuclear definitivo com o Irã que mantenha a segurança de Israel. Ele insistiu que não haveria "acordo algum" a menos que o Irã concorde com as rigorosas inspeções internacionais:

"Se o Irã trapacear, os EUA mantêm todas as opções sobre a mesa".

O F-35 é um caça multiuso do Exército norte-americano de um só assento com monomotor potente que é dificilmente indetectável por radares.

Os primeiros dois caças F-35 serão fornecidos a Israel até o fim de 2016, com entregas programadas para serem concluídas até 2021, afirmou o Ministério da Defesa israelense em fevereiro.

Mais cedo na mídia surgiram informações alegando que Israel teria ordenado os pelo menos 25 aeronaves F-35 em resposta à decisão da Rússia de fornecer de sistemas de defesa aérea S-300 ao Irã e à Síria.

A decisão russa de iniciar o envio de armas ao Irã marcou uma mudança significativa na região.

"Em primeiro lugar, a Rússia está começando a desempenhar um maior papel estratégico no Oriente Médio, enquanto os EUA gradualmente deixam o jogo. Em segundo lugar, o Kremlin pode agora ser uma barreira à implementação da estratégia norte-americana, apesar de que a Rússia está sob pressão econômica do Ocidente por causa de sua política na Ucrânia. Além disso, a Rússia provavelmente espera receber a sua quota de vantagens econômicas no Irã, logo que as sanções forem suspensas", escreveu na semana passada o jornal inglês The Economist.

Um especialista de Sputnik Persian, o redator-chefe do jornal iraniano Iran Press, Emad Abshenass, comentou a situação:

“Em qualquer caso, em matéria de segurança nacional não vale a pena confiar só nos armamentos. Mas dizer que não temos sistemas de mísseis de defesa que poderiam impedir ataques do inimigo seria errado. O sistema de defesa antiaérea S-300, bem como os sistemas de defesa que o Irã desenvolveu de forma independente, é destinado a impedir tentativas de qualquer país de invadir o território do Irã.

Durante o confronto militar entre Israel e Hamas na Gaza ou durante o conflito israelense-libanês, com a participação do movimento Hezbollah, os EUA forneceram a Israel armamentos avançados. Mas, no entanto, os foguetes em muitos aspetos inferiores de Hamas e Hezbollah foram capazes de superar os sistemas de mísseis e atacar Israel.

Em geral, os S-300 ou outras armas iranianas como um escudo de defesa não serão capaz de proteger todas as instalações iranianas por 100%. Mas, ao mesmo tempo, não podemos afirmar que os alegados caças israelenses nunca, em nenhuma circunstância, serão capazes de atacar o Irã, assim como aviões militares iranianos não serão capazes de superar e exceder a defesa aérea de Israel.

Ele também sublinhou, que “se Israel decide atacar o Irã, é preciso levar em conta que o Irã pode responder, e a defesa seria muito forte e poderosa. Isso vai custar caro a Israel”.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas