Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Estrangeiros agradecem Rússia por evacuação no Iêmen

Nesta segunda-feira (6), quinto avião russo transportou mais 150 fugitivos da guerra para a base aérea Tchkálovski, nos arredores de Moscou.


TASS

O modelo Ilyushin-62 ficou encarregado pelo transporte de cidadãos da Rússia, Uzbequistão, Tadjiquistão, Ucrânia, Bielorrússia, Armênia, França, Alemanha, Iêmen, Cazaquistão, Quirguistão e Iraque. Havia trinta e quatro crianças entre os passageiros.


Estrangeiros agradecem Rússia por evacuação no Iêmen
Foto: Vitáli Beloussov/RIA Nóvosti

As pessoas a bordo do avião disseram à agência de notícias Tass que a situação no Iêmen estava se deteriorando de um dia para o outro e não havia esperanças de melhoria. A situação crítica fez com que muitos estrangeiros decidissem abandonar o país com urgência.

“Entramos em contato com os ministérios do Exterior alemão e francês e eles fizeram um acordo com a Embaixada da Rússia”, conta o alemão Banda Azelvi, que deixou o Iêmen junto com sua esposa e filhos.

“Nos registramos junto à Embaixada da Rússia e, em seguida, eles nos ligaram e disseram para vir ao aeroporto”, diz. “Estamos tomando um voo para Frankfurt agora de manhã.”

Muitas pessoas que receberam a ajuda agradeceram as autoridades russas pela assistência e destacaram a eficiência da Embaixada russa em Sanaa.

“Agradecemos a Rússia e a Pútin por nos tirar do país”, diz Nurlus Salamov, médico uzbeque que trabalhou durante sete anos no Iêmen.

Cidadãos da Ucrânia, que não tem embaixada no Iêmen, também estão viajando para casa graças à ajuda da Rússia.

Todos os passageiros tiveram que passar por exame médico e controle de imigração na base aérea de Tchkalovski. Em seguida, eles foram levados de ônibus para o centro de evacuação do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, onde eram aguardados por diplomatas de seus países de origem.

As pessoas que planejavam continuar suas viagens para outras localidades foram encaminhadas para os aeroportos internacionais de Moscou.


Postar um comentário