Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Rússia: EUA provocaram combates em Idlib para impedir o avanço sírio em Deir ez-Zor

Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib, informou o ministério da Defesa da Rússia nesta quarta-feira.
Sputnik

Segundo o ministério russo, a ofensiva terrorista foi uma manobra dos serviços de inteligência dos EUA para impedir o avanço das tropas sírias em Deir ez-Zor.


Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib.

"Apesar dos acordos assinados no dia 15 de setembro em Astana, os combatentes da Frente al-Nusra e seus aliados, que se negaram a cumprir as condições do regime de cessar-fogo, iniciaram uma ampla ofensiva contra as tropas governamentais, a partir das 8hs da manhã do dia 19 de setembro, ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib", informa o comunicado.

Durante o dia, os terroristas conseguira…

França mostra disposição para devolver dinheiro de Mistrais à Rússia

O presidente da França, François Hollande, disse nesta quarta-feira, 22, que considera natural a devolução de verbas pelos porta-helicópteros tipo “Mistral”, caso eles não sejam fornecidos à Rússia.


Sputnik

“Se os navios não foram fornecidos, não vejo como eles poderiam ser pagos”, disse o líder francês ao comentar a declaração do presidente russo, Vladimir Putin, sobre a compensação dos Mistrais pagos pela Rússia. Segundo Hollande, “a posição do presidente da Rússia é absolutamente compreensível”. 


Navio Mistral francês
© Sputnik/ Alexei Danichev

Durante a entrevista coletiva, o chefe de Estado francês acrescentou que “é um princípio muito simples”. “Se foram fornecidos, deve ser feito o pagamento. Se não foram fornecidos, o pagamento deve ser devolvido”, disse Hollande.

A companhia russa de exportação e importação de armamentos Rosoboronexport assinou com a companhia francesa DCNS um contrato para a construção de dois navios deste tipo em junho de 2011. As partes posteriores dos porta-helicópteros foram construídas no estaleiro russo Baltiysky (que faz parte da Corporação Unida de Construção Naval) em São Petersburgo. O acoplamento com as partes anteriores e as obras de acabamento foram efetuadas no estaleiro da companhia STX France, em Saint-Nazaire.

O primeiro navio de desembarque Vladivostok devia ter sido entregado pela França em 14 novembro de 2014. Já o segundo navio deveria ser entregue até o final de 2015.

Mais cedo o presidente francês, François Hollande, disse que decidiu suspender a entrega do primeiro dos navios (Vladivostok) por causa da situação na Ucrânia. Por sua vez, a Rússia declarou que está à espera do navio ou da restituição do dinheiro.


Postar um comentário