Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Embraer e Boeing acertam termos de parceria

Acordo prevê criação de uma nova empresa de aviação comercial, com 80% de participação da gigante americana. Boeing vai pagar 4,2 bilhões de dólares aos brasileiros. Transação precisa ser aprovada pelo governo federal.
Deutsch Welle

A Embraer e a gigante americana Boeing anunciaram nesta segunda-feira (17/12) a aprovação dos termos de uma parceria para criar uma nova empresa de aviação comercial. A execução do acerto ainda precisa do aval do governo brasileiro.


De acordo com a proposta, a Boeing deterá 80% de participação na joint venture pelo valor de 4,2 bilhões de dólares, enquanto a fabricante brasileira ficará com os 20% restantes.

"A expectativa é de que a parceria não terá impacto no lucro por ação da Boeing em 2020, passando a ter impacto positivo nos anos seguintes", diz um comunicado conjunto da Embraer e da Boeing divulgado para investidores.

As duas empresas informaram que a joint venture criada para a fabricação de aviões comerciais, que deve absorver toda a operação…

Frota russa do Pacífico testa sistema de mísseis Bal pela primeira vez

As tropas de defesa costeira da Frota do Pacífico da Marinha russa conduziram nesta terça-feira (28) o primeiro lançamento do novo sistema de mísseis Bal, segundo informou o porta-voz da Frota, capitão Roman Martov.


Sputnik

"As tropas realizaram um lançamento de míssil em direção a um alvo no mar em conformidade com as normas especificadas", disse o oficial em nota à imprensa.




O sistema de defesa Bal entrou em serviço da Frota russa do Pacífico no final de 2014. Equipado com mísseis Kh-35, ele pode atingir alvos a uma distância de 120 km, e sob quaisquer condições meteorológicas. Os lançadores podem ser posicionados em lugares escondidos a uma distância de até 10 km da costa, sendo capazes de frustrar ofensivas de um grande grupo naval de combate, de um grupo de desembarque ou a escolta de um inimigo potencial.

O Distrito Militar do Leste da Rússia anunciou no início de abril uma série de exercícios de treinamento de ataques com mísseis de retaliação em sete regiões do Extremo Oriente da Rússia, perto da fronteira com a China, envolvendo recursos de aviação, marinha, mísseis e artilharia. No geral, o Ministério da Defesa espera a realização de 3.500 a 4.000 exercícios militares em todo o país este ano.

Em 13 de março, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia, ao comentar os alarmes soados por Washington sobre o aumento da frequência dos exercícios da Força Aérea russa no Pacífico, reiterou que as manobras militares “são realizadas em estrita conformidade com as normas internacionais, com os acordos bilaterais, e não estão voltadas contra nenhum país, nem configuram ameaça à paz na região da Ásia e do Pacífico”.





Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas