Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Ministério das Relações Exteriores russo acusa EUA de ajudar terroristas na Síria

Ao reforçar seu interesse em liquidar o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia] da face da Terra, Moscou se mostrou preocupada com o fato de os EUA demonstrarem o contrário através de suas ações, ressalta Sergei Ryabkov, vice-ministro do ministério.
Sputnik

"Apesar de tudo, alguns objetivos políticos e geopolíticos são mais importantes para Washington, o que está declarado no plano de lealdade à luta antiterrorista", disse Ryabkov a jornalistas. Segundo ele, a Rússia espera que Washington prove na prática a sua lealdade à luta contra o terrorismo na Síria.


Além disso, o diplomata chamou a morte do tenente-general Valery Asapov de preço pago pela Rússia pela hipocrisia dos EUA na questão da resolução da crise síria. Asapov, que chefiava o grupo dos conselheiros militares russos, morreu na região de Deir ez-Zor durante bombardeio do Daesh.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou fotos aéreas dos bairros a norte de Deir ez-Zor controlados pelos terroristas d…

Incêndio no submarino nuclear russo 'Oriol' é controlado após submersão

Para apagar fogo, submarino foi inundado.
Não havia armamento nem combustível nos reatores, diz governo.


EFE

O Ministério para Situações de Emergência da Rússia informou que foi controlado na madrugada desta quarta-feira (8) o incêndio que atingiu o submarino nuclear 'Oriol', que estava sendo consertado nos estaleiros de Zviozdochka, no noroeste do país.

 Fumaça é vista no porto de Severodvinsk, na Rússia, nesta terça-feira (7), após um incêndio em um submarino nuclear russo (Foto: Oleg Kuleshov/Reuters)Fumaça é vista no porto de Severodvinsk, na Rússia, nesta terça-feira (7), após um incêndio em um submarino nuclear russo (Foto: Oleg Kuleshov/Reuters)

"Às 0h57 em Moscou (18h57 da terça, 7, em Brasília) foi controlado o incêndio. Não houve vítimas", informaram as autoridades russas em comunicado.

O incêndio começou por volta das 14h (8h em Brasília) durante um trabalho de soldagem do submarino em um dique seco do estaleiro.

Após várias de tentativas de controlar o fogo, os responsáveis pelo estaleiro decidiram inundar o submarino para apagar as chamas. Desde o primeiro momento, o governo russo informou que não havia nem armamento nem combustível nos reatores nucleares.

Construído em 1992, o Oriol é um cruzeiro submersível da classe Oscar-II, a mesma do 'Kursk', o submarino russo que afundou no mar de Barents em 2000, matando seus 118 tripulantes.

O submarino é movido por dois reatores nucleares de 190 megawatts de potência cada um e em estado de serviço é equipado com 24 torpedos e 24 mísseis cruzeiro antinavio 'Granit'.


Postar um comentário