Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Fora do normal': OTAN teria usado armas climáticas para atingir êxito em operação militar

Uma das teorias de conspiração mais populares é a possível influência humana no clima com armas de tecnologia de última geração. Neste contexto, ganhou talvez o maior destaque o projeto HAARP dos EUA. Oficial da Força Aérea russa e meteorologista, Yevgeny Tishkovetz, contou para a Sputnik até que ponto os humanos podem mudar condições climáticas.
Sputnik

O HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program, em inglês) é um projeto financiado pelas Forças Armadas dos EUA que visa estudar a ionosfera para aperfeiçoamento de suas capacidades de comunicação por rádio e dos sistemas de vigilância com ajuda de tecnologias de ponta.


Há uma teoria de que o sistema HAARP teria sido utilizado na operação militar da OTAN na Iugoslávia em 1999. Yevgeny Tishkovetz, meteorologista do centro Fobos e ex-chefe do serviço meteorológico do Ministério da Defesa russo, disse à Sputnik Sérvia que o sistema pode ter sido realmente usado na Iugoslávia.

Segundo o oficial, a Aliança não tinha como realizar seus…

Incêndio no submarino nuclear russo 'Oriol' é controlado após submersão

Para apagar fogo, submarino foi inundado.
Não havia armamento nem combustível nos reatores, diz governo.


EFE

O Ministério para Situações de Emergência da Rússia informou que foi controlado na madrugada desta quarta-feira (8) o incêndio que atingiu o submarino nuclear 'Oriol', que estava sendo consertado nos estaleiros de Zviozdochka, no noroeste do país.

 Fumaça é vista no porto de Severodvinsk, na Rússia, nesta terça-feira (7), após um incêndio em um submarino nuclear russo (Foto: Oleg Kuleshov/Reuters)Fumaça é vista no porto de Severodvinsk, na Rússia, nesta terça-feira (7), após um incêndio em um submarino nuclear russo (Foto: Oleg Kuleshov/Reuters)

"Às 0h57 em Moscou (18h57 da terça, 7, em Brasília) foi controlado o incêndio. Não houve vítimas", informaram as autoridades russas em comunicado.

O incêndio começou por volta das 14h (8h em Brasília) durante um trabalho de soldagem do submarino em um dique seco do estaleiro.

Após várias de tentativas de controlar o fogo, os responsáveis pelo estaleiro decidiram inundar o submarino para apagar as chamas. Desde o primeiro momento, o governo russo informou que não havia nem armamento nem combustível nos reatores nucleares.

Construído em 1992, o Oriol é um cruzeiro submersível da classe Oscar-II, a mesma do 'Kursk', o submarino russo que afundou no mar de Barents em 2000, matando seus 118 tripulantes.

O submarino é movido por dois reatores nucleares de 190 megawatts de potência cada um e em estado de serviço é equipado com 24 torpedos e 24 mísseis cruzeiro antinavio 'Granit'.


Postar um comentário