Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Poder Naval

Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico Vital de Oliveira foi incorporado, no dia 24 de março, à Marinha do Brasil. O evento, realizado no cais de Keppel Marine, Cingapura, foi presidido pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante-de-Esquadra Wilson Barbosa Guerra, e contou com a participação de autoridades civis e militares.


Vital de Oliveira - 1

O Capitão-de-Fragata Aluizio Maciel Oliveira Júnior irá comandar esse meio naval equipado com o que há de mais avançado em termos de tecnologia, podendo receber até 40 cientistas embarcados. A aquisição foi feita por meio de um acordo de cooperação entre o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, a Petrobras S. A., a Vale e a Marinha do Brasil.

Construído pelo estaleiro Hangtong, em Xinhui, na China, o navio será empregado em pesquisas científicas para caracterização física, química, biológica, geológica e ambiental das áreas oceânicas estratégicas do Atlântico Sul.


Postar um comentário