Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Fora do normal': OTAN teria usado armas climáticas para atingir êxito em operação militar

Uma das teorias de conspiração mais populares é a possível influência humana no clima com armas de tecnologia de última geração. Neste contexto, ganhou talvez o maior destaque o projeto HAARP dos EUA. Oficial da Força Aérea russa e meteorologista, Yevgeny Tishkovetz, contou para a Sputnik até que ponto os humanos podem mudar condições climáticas.
Sputnik

O HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program, em inglês) é um projeto financiado pelas Forças Armadas dos EUA que visa estudar a ionosfera para aperfeiçoamento de suas capacidades de comunicação por rádio e dos sistemas de vigilância com ajuda de tecnologias de ponta.


Há uma teoria de que o sistema HAARP teria sido utilizado na operação militar da OTAN na Iugoslávia em 1999. Yevgeny Tishkovetz, meteorologista do centro Fobos e ex-chefe do serviço meteorológico do Ministério da Defesa russo, disse à Sputnik Sérvia que o sistema pode ter sido realmente usado na Iugoslávia.

Segundo o oficial, a Aliança não tinha como realizar seus…

Paraquedistas americanos chegam à Ucrânia enquanto lutas em Donbass se intensificam

Após o que pode ser classificado como uma parada militar de 1.100 milhas pelo leste europeu, paraquedistas militares americanos da 173ª Brigada Aérea chegaram à Ucrânia para o início da Operação Guardião Sem Medo.


Sputnik

A chegada das tropas americanas acontece a mesma época em que previu o grupo de hackers CyberBerkut, que divulgou uma longa lista de inspetores militares que estariam na Ucrânia em abril.


Paraquedistas americanos da 173ª Brigada Aérea chegam à Ucrânia
© AP Photo/ Petr David Josek
O comboio com 50 paraquedistas e 25 veículos desembarcou em Vicenza, na Itália e viajou por Áustria e outros países aliados da OTAN como Alemanha e Polônia. A caravana chegou a Yavoriv, na Ucrânia, na última sexta-feira.

"Esta assistência é uma parte de nossos esforços para ajudar a sustentar a defesa ucraniana e as operações de segurança internacionais", disse a porta-voz do Pentágono Eileen Lainez quando a operação foi anunciada.

O comboio chega quando a violência volta a crescer no leste do país. Monitores da OSCE, a Organização para Segurança e Cooperação da Europa, relataram evidências de combates no último domingo, incluindo disparos de tanques e metralhadoras. As interrupções do cessar-fogo na última semana deixaram separatistas três mortos e outros cinco feridos.

A Operação Guardião Sem Medo é um codinome dado ação americana para treinar a Guarda Nacional da Ucrânia. Os exercícios começarão neste mês e vão durar seis meses. Trezentos soldados americanos participarão dos exercícios, mas o comboio também entregou equipamentos.

"O equipamento vai fornecer apoio à manutenção assim como transporte de cargas e soldados em áreas de treinamento", diz o capitão PJ Hartman em um comunicado enviado pelo Exército dos EUA.

A imprensa ucraniana informa que o treinamento terminará com os soldados americanos entregando munição, embora o porta-voz do Exército dos EUA, Donald Wrenn, tenha afirmado à revista Newsweek que "nós do Exército na Europa não sabemos sobre a entrega de munição após o treinamento."

A missão deveria ter iniciado no mês passado, mas foi retardada após a assinatura do acordo pelo segundo cessar-fogo, em Minsk. A Operação Guardião Sem Medo é o passo mais recente na série de medidas tomadas por Washington, que se contradiz em sua mensagem de diplomacia antes de violência. Os Estados Unidos, até agora, cederam mais de US$ 120 milhões em ajuda militar não letal, incluindo 230 veículos do tipo Humvee e drones não armados.

Em uma entrevista na semana passada, o ministro russo de Relações Exteriores, Sergey Lavrov, alertou para a maior presença militar do Ocidente na Ucrânia.

"Provocadores em Kiev e aqueles que apoiam o 'partido da guerra' podem tentar estimular algo na esperança de inflamar a opinião pública mundial, resultando em armas movimentando-se na direção da Ucrânia", disse Lavrov. "Devemos ficar de olho nisto."
-->
Postar um comentário