Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Premiê de Israel critica entrega de mísseis S-300 russos ao Irã

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, começou a reunião semanal de domingo (19) do governo com a condenação do fornecimento pela Rússia de mísseis antiaéreos S-300 ao Irã.


Sputnik

No início desta semana, o chefe do gabinete israelense discutiu o assunto com o presidente russo, Vladimir Putin, tendo este último, de acordo com o serviço de imprensa do Kremlin, sublinhado que os S-300, pelas suas características táticas e técnicas têm uma finalidade puramente defensiva e não afetam a segurança do Israel e outros países do Oriente Médio.


Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu

"Israel vê como um assunto de extrema gravidade a venda de mísseis S-300 ao Irã, enquanto este país está intensificando a agressão na região e ao longo das fronteiras do Estado de Israel", disse Netanyahu, na abertura da sessão do governo, citado pelo seu serviço de imprensa.

A venda para o Irã de 40 lançadores de S-300PMU-1 fora acordada ainda em 2007. Três anos depois, a execução do contrato, avaliado em US$ 800 milhões, foi suspensa por causa das sanções internacionais impostas à República Islâmica. Na segunda-feira, o Kremlin anunciou a assinatura de um decreto que removeu a proibição de fornecimento de S-300 ao Irã.

Durante a Linha Direta da quinta-feira, o presidente Putin ressaltou que o fornecimento dos complexos S-300 não está na lista das sanções ocidentais. Por isso a Rússia não viola nenhuma norma ou resolução internacional ao continuar o fornecimento, interrompido em 2010 em razão da situação instável na região.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas