Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército Sírio é atacado a partir de área ocupada por EUA e FDS

Tropas do Exército Árabe Sírio que participam de uma ofensiva contra terroristas em Deir ez-Zor foram alvo de ataques lançados a partir de uma área dominada por militantes das Forças Democráticas da Síria (FDS) e unidades especiais das Forças Armadas americanas, conforme revelou o Ministério da Defesa da Rússia nesta terça-feira.
Sputnik

"No último dia, grupos de assalto das tropas governamentais sírias, com apoio da Força Aeroespacial russa, cruzaram o Eufrates e continuaram a expandir a cabeça de ponte capturada a leste de Deir ez-Zor, apesar da dura resistência dos militantes do Daesh", afirmou o porta-voz da Defesa russa, major-general Igor Konashenkov, destacando o avanço das forças de Damasco. 


Segundo o militar, as tropas leais ao presidente Bashar Assad conseguiram liberar uma área de 60 quilômetros quadrados na zona oriental, mas encontraram obstáculos.

"De acordo com relatos de comandantes sírios na linha de frente, o Exército Sírio sofre contra-ataques mais seve…

Premiê de Israel critica entrega de mísseis S-300 russos ao Irã

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, começou a reunião semanal de domingo (19) do governo com a condenação do fornecimento pela Rússia de mísseis antiaéreos S-300 ao Irã.


Sputnik

No início desta semana, o chefe do gabinete israelense discutiu o assunto com o presidente russo, Vladimir Putin, tendo este último, de acordo com o serviço de imprensa do Kremlin, sublinhado que os S-300, pelas suas características táticas e técnicas têm uma finalidade puramente defensiva e não afetam a segurança do Israel e outros países do Oriente Médio.


Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu

"Israel vê como um assunto de extrema gravidade a venda de mísseis S-300 ao Irã, enquanto este país está intensificando a agressão na região e ao longo das fronteiras do Estado de Israel", disse Netanyahu, na abertura da sessão do governo, citado pelo seu serviço de imprensa.

A venda para o Irã de 40 lançadores de S-300PMU-1 fora acordada ainda em 2007. Três anos depois, a execução do contrato, avaliado em US$ 800 milhões, foi suspensa por causa das sanções internacionais impostas à República Islâmica. Na segunda-feira, o Kremlin anunciou a assinatura de um decreto que removeu a proibição de fornecimento de S-300 ao Irã.

Durante a Linha Direta da quinta-feira, o presidente Putin ressaltou que o fornecimento dos complexos S-300 não está na lista das sanções ocidentais. Por isso a Rússia não viola nenhuma norma ou resolução internacional ao continuar o fornecimento, interrompido em 2010 em razão da situação instável na região.



Postar um comentário