Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Restaurado, “Katiucha” será destaque no Dia da Vitória em Tula

Empresa estatal NPO Splav restaurou o clássico lançador múltiplo de foguetes BM-13, conhecido como Katiucha. Aposentado desde o surgimento dos modernos sistemas Grad, Smertch e Uragan, o Katiucha participará de desfile no Dia Vitória em Tula, em 9 de maio.


Tatiana Russakova | Gazeta Russa

Para preparar o Katiucha para o desfile do Dia da Vitória em sua cidade-natal, a equipe responsável da NPO Splav se deparou com uma tarefa cara e extensa. “O Katiucha está há 20 anos em exposição sobre o pedestal, sobreviveu a um incêndio e hoje não pode se locomover pelos próprios meios”, conta um dos funcionários da equipe.


Restaurado, “Katiucha” será destaque no Dia da Vitória em Tula
Fabricado na cidade de Tula, o lançador de foguetes Katiucha, montado sobre o chassi do caminhão médio ZIS-5V, provou seu valor durante a Segunda Guerra Mundial Foto: Grigóri Vassilenko / RIA Nóvosti

Estima-se que os custos para restauração do ZIS-5, caminhão de porte médio sobre o qual o sistema está montado, cheguem a 1 milhão de rublos. Mas o pessoal envolvido no projeto tem certeza de que esforço e o investimento valem a pena, e os trabalhos já estão perto do fim.

“Há um outro exemplar do ZIS-5 na Mosfilm, em condições bem melhores, mas não pode lançar foguetes como o nosso”, diz o chefe do departamento de transportes da Splav, Serguêi Kiriltsev.

Em Astana, capital do Cazaquistão, também há plano de expor o clássico Katiucha no setor histórico do desfile que vai celebrar o 70º aniversário da vitória soviética sobre a Alemanha nazista. Com o objetivo expor o equipamento, foram removidos alguns exemplares de pedestais e monumentos, e depois restaurados.

“Esses equipamentos há muito deixaram nossas reservas para se tornarem monumentos. Somente após a total restauração pela empresa Kazakhstan Engineering, é que elas voltaram a funcionar”, diz Jumabek Khasenov, vice-comandante de Educação Ideológica das Forças Terrestres do Cazaquistão.

Fabricado na cidade de Tula, o lançador de foguetes Katiucha, montado sobre o chassi do caminhão médio ZIS-5V, provou seu valor durante a Segunda Guerra Mundial. No entanto, as qualidades exibidas nos combates foram fruto de uma reviravolta radical no design do equipamento ainda durante a guerra.

Na época, o processo de simplificação do veículo exigiu que a cabine fosse construída de madeira compensada, e os trilhos lançadores, de metal laminado. Foram retirados os freios das rodas dianteiras (para desacelerar era necessário o uso de freio-motor ou até mesmo o de mão), bem como o farol direito e os bancos de passageiros.

Vitrine militar

Embora o desfile em Moscou também apresente um setor histórico, os Katiuchas não irão desfilar sobre os paralelepípedos da Praça Vermelha. Os espectadores terão de se contentar apenas com os tanques T-34 e os obuseiros autopropulsados SU-100.

Porém, o desfile no Dia da Vitória deste ano servirá de “vitrine” para a demonstração das mais recentes tecnologias de defesa da Rússia, algumas que ainda nem entraram em produção em série. É o caso do obuseiro autopropulsado Koalitsia-SV, do tanque principal de combate Armata e dos veículos de combate de infantaria Kurganets 25, bem como dos novos blindados sobre rodas Boomerang e antiminas Typhoon, fabricados pela Kamaz. 

Enquanto estes exemplares secretos treinam cobertos por camuflagem em Alabino, nos arredores de Moscou, o Exército recebeu os complexos de mísseis para defesa costeira Bal e Bastion.

A Parada da Vitória deste ano, em 9 de maio, será a maior da história do país: está prevista a participação de 194 veículos blindados, 150 aeronaves e 14.000 soldados.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas