Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Rússia usará drones táticos no Ártico

Drones russos serão utilizados ao longo da Rota do Mar do Norte a partir do dia 1º de maio para monitorar o clima e a deterioração do gelo na região. Os objetos voadores controlados remotamente também ajudarão na navegação e em missões de resgate.


Sputnik

Os drones - do tipo Orlan-10s do Distrito Militar Leste - serão lançados da Península Chukotka, localizada opostamente à Península Seward, no Alaska.




"A tarefa dos drones é manter controle imparcial da situação na área russa do Ártico, incluindo a situação ecológica e do gelo nas áreas marítimas adjuntas e ao longo da Rota do mar do Norte", afirma o coronel Gordeev, porta-voz do distrito militar.

O plano de monitoramento foi anunciado no fim de 2014, e voos de teste dos drones começaram este ano. O Orlan-10 é um veículo aéreo remoto produzido na Rússia e projetado no Centro Especial tecnológico, em São Petersburgo. Sua velocidade máxima é de 150 km/h, e sua autonomia de voo é de 16 horas sem reabastecer.

Os drones serão transportados por helicópteros Mi-26, e a estação será ocupada por integrantes formados no centro de controle de aviação do Ministério da Defesa.

A Rússia já tem a maior flotilha de navios quebra-gelo do mundo - e os únicos movidos a energia nuclear. A Marinha russa anunciou este mês a criação de seu primeiro navio quebra-gelo diesel-elétrico, que conseguirá quebrar gelo de até 80 centímetros de espessura.

O anúncio da criação da unidade de drones perto da cidade de Anadyr, em novembro, veio alguns meses depois de o presidente russo, Vladimir Putin, ordenar o estabelecimento de um órgão público especial responsável pela implementação de políticas russas no Ártico e uma rede unificada de instalações navais para receber navios de guerra e submarinos. A intenção é aumentar a proteção dos interesses e das fronteiras da Rússia na região.


Postar um comentário