Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Fora do normal': OTAN teria usado armas climáticas para atingir êxito em operação militar

Uma das teorias de conspiração mais populares é a possível influência humana no clima com armas de tecnologia de última geração. Neste contexto, ganhou talvez o maior destaque o projeto HAARP dos EUA. Oficial da Força Aérea russa e meteorologista, Yevgeny Tishkovetz, contou para a Sputnik até que ponto os humanos podem mudar condições climáticas.
Sputnik

O HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program, em inglês) é um projeto financiado pelas Forças Armadas dos EUA que visa estudar a ionosfera para aperfeiçoamento de suas capacidades de comunicação por rádio e dos sistemas de vigilância com ajuda de tecnologias de ponta.


Há uma teoria de que o sistema HAARP teria sido utilizado na operação militar da OTAN na Iugoslávia em 1999. Yevgeny Tishkovetz, meteorologista do centro Fobos e ex-chefe do serviço meteorológico do Ministério da Defesa russo, disse à Sputnik Sérvia que o sistema pode ter sido realmente usado na Iugoslávia.

Segundo o oficial, a Aliança não tinha como realizar seus…

Secretário de Defesa dos EUA: Europa não gasta o suficiente com segurança

O secretário de Defesa americano, Ash Carter, disse que prolongados cortes nos gastos de defesa da Europa colocam em dúvida a capacidade do continente de ser um parceiro dos militares dos Estados Unidos.


Sputnik

"Eles não estão fazendo o suficiente", disse Carter em uma pouco usual avaliação franca sobre os esforços europeus de defesa. O secretário afirmou que o continente vem gastando em defesa uma fatia "muito mais baixa" de sua riqueza do que no passado. Segundo Carter, se a Europa quer ser uma força no mundo, precisa de "mais que uma força moral e política e econômica", afirmou segundo a Agência Estado.


Secretário de Defesa dos EUA, Ashton Carter
© REUTERS/ Jonathan Ernst/Files

Carter fez o comentário em resposta a uma pergunta da plateia, após fazer um discurso na Universidade Georgetown sobre a erradicação da violência sexual entre os militares e a ajuda às vítimas de ataques.

O secretário de Defesa americano não visitou a Europa desde que chegou ao posto, em fevereiro. Ele deve ter seu primeiro compromisso no continente em um encontro de ministros da Defesa da OTAN em Bruxelas, em junho.

Os secretários de Defesa dos EUA há tempos reclamam que a Europa não investe o suficiente em sua própria defesa. Em geral, porém, não expõem a questão de maneira tão franca. Carter acredita que, com o fim da Guerra Fria, aliados americanos na Europa concluíram que os problemas de segurança tinham acabado.

"Agora eles estão começando a acordar", afirmou, referindo-se à crise no leste da Ucrânia e ao ataque terrorista de janeiro em Paris, além da proximidade da Turquia com a violência do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.


Postar um comentário