Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Síria aprova propostas da Rússia para resolver a guerra civil no país árabe

Uma delegação do governo da Síria concordou com as propostas estabelecidas pelos mediadores russos durante a segunda rodada de negociações, realizada em Moscou nesta semana para resolver a guerra civil síria, revelou uma fonte familiarizada com as negociações à Sputnik nesta quarta-feira (8).


Sputnik

A agenda proposta pela parte russa e aprovado pela Síria incluiria a avaliação da situação atual, a união de forças nacionais para enfrentar desafios, incluindo o terrorismo, e a construção da confiança entre a oposição e a sociedade civil, disse a fonte à Sputnik.


Ataques aéreos na Síria
© AP Photo/ Vadim Ghirda
Além disso, ela afirmou que o plano de Moscou descreve o estabelecimento de um processo político, bem como passos em fases, no âmbito de um programa de reconciliação nacional. A rodada anterior de negociações aconteceu no final de janeiro e rendeu os chamados Princípios de Moscou, delineando uma plataforma política para a reconciliação nacional.

Na terça-feira (7), o porta-voz do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, saudou as conversações em curso, a primeira tentativa de resolver o conflito sírio em mais de um ano desde que uma conferência em Genebra não conseguiu produzir resultados.

A guerra civil síria resultou em mais de 220 mil mortes e forçou muitos milhões de pessoas a fugir de sua terra natal desde o seu início em 2011.



Postar um comentário