Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Rússia: EUA provocaram combates em Idlib para impedir o avanço sírio em Deir ez-Zor

Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib, informou o ministério da Defesa da Rússia nesta quarta-feira.
Sputnik

Segundo o ministério russo, a ofensiva terrorista foi uma manobra dos serviços de inteligência dos EUA para impedir o avanço das tropas sírias em Deir ez-Zor.


Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib.

"Apesar dos acordos assinados no dia 15 de setembro em Astana, os combatentes da Frente al-Nusra e seus aliados, que se negaram a cumprir as condições do regime de cessar-fogo, iniciaram uma ampla ofensiva contra as tropas governamentais, a partir das 8hs da manhã do dia 19 de setembro, ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib", informa o comunicado.

Durante o dia, os terroristas conseguira…

Tropas da OTAN na fronteira Romênia–Rússia são de confronto

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Lukashevich, afirmou nesta quarta-feira (8) que as tropas que a OTAN planeja implantar na Romênia, muito perto da fronteira russa, são de confronto.


Sputnik

"Na verdade, é uma transformação sequencial do país em mais um ponto de apoio para os EUA e a OTAN perto da fronteira com a Rússia. Já comentamos várias vezes sobre essas medidas por países membros da aliança, observando sua forma de confronto e insistindo na sua inadequação e redundância, tanto militarmente quanto financeiramente", disse Lukashevich.


“Marcha de dragões” do OTAN na Europa
© REUTERS/ Ints Kalnins

Segundo o porta-voz, o governo romeno está sacrificando a segurança da região, ao concordar em enviar forças militares do bloco. "Somos tentados a concluir que as autoridades romenas atuais, a fim de elevar o seu 'perfil' aos olhos dos estrategistas estrangeiros, estão dispostas a sacrificar a manutenção da estabilidade na região do Mar Negro por razões táticas."



Postar um comentário