Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

Ataque do Boko Haram deixa 5 mortos em aldeia no Níger

Abdoulaye Massalaki | Reuters

NIAMEY (Reuters) - Pelo menos cinco pessoas morreram quando militantes do grupo islâmico nigeriano Boko Haram atacaram uma aldeia no sudoeste do Níger, disseram dois policiais militares nigerinos nesta quinta-feira.




O ataque ocorreu durante a noite de terça para quarta-feira na aldeia de Koukodou, perto da fronteira da Nigéria, na região de Dosso, no Níger.

"Os terroristas mataram cinco moradores e queimaram casas e dois veículos", disse um oficial do Exército enviado à região, que pediu para não ser identificado, já que não estava autorizado a falar. Um segundo oficial contou que os criminosos saquearam casas e lojas antes de se retirarem para o outro lado da fronteira, na Nigéria.

O Boko Haram, que pretende estabelecer um emirado islâmico no nordeste da Nigéria, já matou milhares de pessoas durante uma insurgência de seis anos, mas os ataques no Níger têm sido relativamente raros.


Postar um comentário