Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Rússia: EUA provocaram combates em Idlib para impedir o avanço sírio em Deir ez-Zor

Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib, informou o ministério da Defesa da Rússia nesta quarta-feira.
Sputnik

Segundo o ministério russo, a ofensiva terrorista foi uma manobra dos serviços de inteligência dos EUA para impedir o avanço das tropas sírias em Deir ez-Zor.


Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib.

"Apesar dos acordos assinados no dia 15 de setembro em Astana, os combatentes da Frente al-Nusra e seus aliados, que se negaram a cumprir as condições do regime de cessar-fogo, iniciaram uma ampla ofensiva contra as tropas governamentais, a partir das 8hs da manhã do dia 19 de setembro, ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib", informa o comunicado.

Durante o dia, os terroristas conseguira…

Ataque do Boko Haram deixa 5 mortos em aldeia no Níger

Abdoulaye Massalaki | Reuters

NIAMEY (Reuters) - Pelo menos cinco pessoas morreram quando militantes do grupo islâmico nigeriano Boko Haram atacaram uma aldeia no sudoeste do Níger, disseram dois policiais militares nigerinos nesta quinta-feira.




O ataque ocorreu durante a noite de terça para quarta-feira na aldeia de Koukodou, perto da fronteira da Nigéria, na região de Dosso, no Níger.

"Os terroristas mataram cinco moradores e queimaram casas e dois veículos", disse um oficial do Exército enviado à região, que pediu para não ser identificado, já que não estava autorizado a falar. Um segundo oficial contou que os criminosos saquearam casas e lojas antes de se retirarem para o outro lado da fronteira, na Nigéria.

O Boko Haram, que pretende estabelecer um emirado islâmico no nordeste da Nigéria, já matou milhares de pessoas durante uma insurgência de seis anos, mas os ataques no Níger têm sido relativamente raros.


Postar um comentário