Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Analista: entrega de dados de Israel sobre abate de Il-20 significa muito para Rússia

O comandante da Força Aérea Israelense, Amikam Norkin, forneceu ao Ministério da Defesa da Rússia dados sobre o incidente com o avião russo Il-20 na Síria. Israel demonstra que não pretende perder a cooperação estabelecida com a Rússia, disse o analista político Stanislav Tarasov durante uma entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.
Sputnik

Além destas informações sobre o abate da aeronave, Israel também avisou sobre "as tentativas do Irã de fortalecer sua posição na Síria e entregar armas estratégicas ao Hezbollah". Os militares observaram que é necessário continuar coordenando as ações na Síria, ressaltando a importância de respeitar os interesses dos dois países.

O avião russo Il-20 foi abatido sobre o mar Mediterrâneo no dia 17 de setembro, a 35 quilômetros da costa síria, por um míssil do sistema antiaéreo S-200 da Síria, resultando na morte de 15 militares.

Ao mesmo tempo, quatro caças F-16 atacaram instalações sírias em Latakia. De acordo com o Ministério da Defesa da…

Aumento do poder da OTAN perto da Rússia é uma ameaça

Washington e Bruxelas representam uma ameaça para a Rússia bem como para seus aliados, disse o secretário do Conselho de Segurança russo Nikolai Patrushev.


Sputnik

As "ações indiretas" tornaram-se típicas na luta dos governos pelos seus interesses: trata-se da utilização do potencial de protesto da população e das organizações radicais e extremistas e de campanhas militares privadas. A agressão dos EUA e da OTAN em relação à Rússia está crescendo e seu potencial militar ofensivo também está crescendo precisamente junto das fronteiras russas, o que está criando ameaças não só para nós, mas para os nossos aliados", disse Patrushev na reunião do Conselho de Segurança da Rússia em 20 de maio.


Forças Aéreas da OTAN, pára-quedistas
© flickr.com/ Exército dos EUA

As relações entre a OTAN e Moscou pioraram após a reunificação da Crimeia com a Rússia e a escalada da crise ucraniana em 2014. Em abril de 2014, a aliança suspendeu toda a cooperação com a Rússia, acusando Moscou de alimentar o conflito na Ucrânia.

A Rússia negou várias vezes essas acusações e expressou preocupação com o aumento da presença militar da OTAN perto das suas fronteiras ocidentais.

Em 14 de maio, durante uma reunião dos ministros das Relações Exteriores da OTAN em Antalya, Turquia, o secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg disse que a aliança não pretende retomar as relações com a Rússia apesar das ameaças globais como o grupo terrorista Estado Islâmico. Em vez disso, ele afirmou que a OTAN vai desenvolver os laços estratégicos com a Europa Oriental.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas