Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Aviões de combate espanhóis e russos se encontram sobre o mar Báltico

Assim como a 37ª turma da missão policial da OTAN está chegando ao fim e jatos espanhóis e poloneses estão voltando para as suas bases, a mídia espanhola lançou algumas imagens do que afirma a ser "Typhoons da Força Aérea Espanhola escoltando alguns aviões da Força Aérea da Rússia".


Sputnik

A mídia espanhola lançou uma série de imagens mostrando Typhoons da Força Aérea Espanhola junto com alguns aviões da Força Aérea da Rússia no céu. As fotos foram tiradas no céu do mar Báltico enquanto a Força Aérea esteve lá em missão policial.


Eurofighter Typhoon e Su-34
Eurofighter Typhoon e Su-34 © FOTO: THEAVIATIONIST.COM
No dia 2 de janeiro, OTAN passou a liderança na sua missão policial no Báltico para a Força Aérea italiana.

Para os próximos quatro meses, os quatro Eurofighter Typhoons da Força Aérea Italiana realizam a missão da base aérea Siauliai na Lituânia. Aqueles foram acompanhados no mesmo local por quatro caças MiG-29 poloneses Fulcrum, bem como por quatro Typhoons espanhóis na Base Aérea Amari na Estónia e quatro Lockheed Martin F-16S em Malbork na Polônia.

Desde 1 de maio a Noruega assumirá a responsabilidade para a missão.

O Reino Unido também irá se juntar à missão, enquanto a Itália e a Bélgica continuarão com a sua participação.

Até o final de agosto, a Noruega irá liderar a missão da base aérea Siauliai com quatro aeronaves F-16. Os Eurofighters italianos também vão se juntar à missão. Quatro Eurofighters britânicos serão baseados na Base Aérea Amari na Estónia, enquanto a Bélgica irá fornecer quatro jatos F-16 com base em Malbork na Polônia.

A OTAN protege os céus do Báltico desde 2004 quando a Estônia, Letônia e Lituânia juntaram-se à aliança. A missão ajuda os aliados da OTAN, que não têm seus próprios caças para proteger seu espaço aéreo.

Os jatos da Rússia realizam seus voos de acordo com as regras internacionais do uso do espaço aéreo sobre águas neutras, de acordo com Ministério da Defesa russo.



Postar um comentário