Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Boa notícia: na planta de testes do sub nuclear (Iperó), turbina bate recorde de velocidade

Poder Naval

O Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP) realizou com sucesso, nesta terça-feira (05.05), uma prova com a turbina da propulsão do submarino nuclear Álvaro Alberto, montada na planta de testes, em terra, do grupo propulsor do navio em Iperó (SP) – um dos projetos de maior expressão em termos de desenvolvimento científico da atualidade no hemisfério sul.

A turbina foi acionada durante seis horas e esse funcionamento permitiu que ela alcançasse a sua maior velocidade, até aqui, em rotação experimental: 3.593 RPM.


Teste de turbina do submarino nuclear - 2


No esquema simplificado da instalação propulsora, a turbina da propulsão está diretamente ligada ao gerador de propulsão, que alimenta o painel da propulsão.


O teste serviu à segunda aprovação em testes para a graxa MASTERLUB AL-30, fornecida pela Lubrotec Química, de Mauá (SP), que foi submetida, como todo o conjunto do equipamento, a uma temperatura de 260º.

A AL-30 é uma graxa vedante e lubrificante, hidro-repelente, resistente à ação de ácidos e álcalis, utilizável em um espectro de temperaturas entre 40º e 300º. Sua aplicação mais comum é em válvulas plug e sistemas de gás de amônia, como vedante em caixas de redutores. É indicada também para rolamentos e mancais sujeitos à contaminação por água e vapor.

Parabéns à equipe do CTMSP e à Lubrotec!


Postar um comentário