Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Bombardeiros americanos na Suécia mandam "mensagem de segurança" a Moscou

A Suécia vem fazendo o máximo para enviar a Moscou um "sinal político de segurança." As forças armadas do país estão se preparando para participar de dois exercícios militares da OTAN na próxima semana.


Sputnik

Uma das manobras contará com dois bombardeiros americanos B-52, que voarão desde os Estados Unidos para simular o lançamento de minas navais na costa da Suécia, segundo informa Radio Sweden.


Bombardeiro estratégico americano B-52 Stratofortress
© flickr.com/ manhhai

Os exercícios, chamados Baltops, acontecerão entre os dias 5 e 20 de junho e envolverão 4.500 pessoas, 50 navios e mais de 50 aeronaves de combate. Os bombardeiros voarão sem escala, ida e volta, desde os Estados Unidos, lançando uma carga de minas simuladas na região de Ravlunda, no sul da Suécia, em 13 de junho. Será a primeira vez que B-52s realizarão exercícios sobre o país. O objetivo da operação é simular a defesa da costa de uma hipotética invasão naval russa.

Embora os exercícios encontrem certa resistência no parlamento sueco, o porta-voz militar Major General Karl Engelbrektson afirmou que além dos esforços para trabalhar em "capacidades operativas diferentes", as manobras também devem enviar "claros sinais políticos de segurança de que trabalhamos em conjunto." Engelbrektson enfatizou que "como a Rússia vai interpretar isso, eles podem decidir por conta própria."

Nesta semana, a imprensa sueca revelou que as forças armadas do país estão seriamente considerando minar a ilha de Gotlândia, localizada entre a Suécia continental e a Letônia no Mar Báltico, tendo como interesse principal afastar outra hipotética invasão russa.

Apesar de seu status formal de não membro, a Suécia coopera com a OTAN desde a década de 1960. A cooperação aumentou significativamente nos últimos meses, com a Suécia tomando parte de medidas anti-russas. A imprensa do país já reportou supostas presenças de submarinos russos na costa sueca, alegou que caças russos voaram de forma provocadora perto da fronteira e acusou Moscou de aumentar sua espionagem no país.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas