Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Câmara dos Representantes dos Estados Unidos quer aumentar despesas militares em US$40 bi

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira a resolução referente ao projeto do orçamento federal para o ano financeiro de 2016 (que começa em outubro), solicitando cortar despesas internas e aumentar o financiamento do Pentágono.


Sputnik

A primeira versão do documento foi aprovada em março deste ano pelas duas câmaras do Congresso. No entanto, os congressistas decidiram discutir os pontos de maior divergência mais uma vez e o projeto da resolução foi encaminhado para uma segunda votação. 


Congresso dos EUA
© flickr.com/ Stephen Melkisethian

O primeiro projeto de resolução recebeu 219 votos a favor, enquanto o segundo recebeu 226 votos a favor e 197 contra.

A resolução solicita a redução gradual dos gastos até a cifra de US$5,5 trilhões durante os próximos 9 anos, através do corte em programas sociais. Apesar disso, a proposta contempla o aumento dos gastos no setor de defesa em US$40 bilhões (7%), até a cifra de US$531,3 bilhões já a partir do ano que vem.

O objeto de discussão entre os republicanos e democratas foi a Lei de Atendimento de Saúde a Preço Acessível, também conhecida como ObamaCare. O corte nos gastos da primeira versão da proposta inviabilizava o programa. Com a nova versão do documento, entretanto, segundo o presidente do Comitê de Orçamento da Câmara, o republicano Tom Price, “será possível acelerar o crescimento econômico, criar vagas de trabalho” e garantir a defesa do país, “mantendo os importantes programas como medicare e a seguridade social”. A maioria dos congressistas democratas, todavia, ainda se posiciona contra o projeto.

A votação no senado deverá acontecer na semana que vem. A resolução não tem força de lei e não necessita de assinatura do presidente, mas será considerada para a formação do orçamento.

Desde o início do ano, a bancada republicana do Congresso americano vem tentando aumentar as despesas do setor de defesa e defendendo o envio de recursos e armamentos para Ucrânia.


Postar um comentário