Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Economia na compra de apenas 36 caças Rafale servirá para acelerar o Tejas, diz MD indiano

O Ministro da Defesa da Índia, Manohar Parrikar, também disse que França investirá na Índia 50% do contrato do Rafale


Poder Aéreo

Durante entrevista concedida ao jornal indiano Economic Times, cujo assunto principal foi a ameaça terrorista, o ministro da Defesa Manohar Parrikar também respondeu a perguntas sobre o contrato para aquisição de 36 caças franceses Dassault Rafale. Em especial, o ministro informou que a economia com a compra desse número de aeronaves no momento (em comparação ao total muito maior que se pretendia inicialmente) servirá para liberar dinheiro para investimentos como o do caça leve desenvolvido localmente, o Tejas.


Rafale - foto 2 armee de lair
Rafale

Especificamente sobre as obrigações francesas e a parte indiana na fabricação das aeronaves, o ministro disse ao jornal que a França deverá investir cerca de 50% do valor do contrato, estimado em 4 bilhões de dólares, nos setores aeroespacial e de defesa da Índia.

Parrikar disse que o projeto do Rafale vai “tirar da coleira (a política) Make in India (fabrique na Índia)” e também afirmou, segundo a reportagem do Economic Times publicada nesta segunda-feira (11/5), que a compra no momento restrita a 36 caças Rafale permitirá economias entre Rs 60,000-65,000 crore nesse projeto MMRCA (aquisição de avião de combate multitarefa de porte médio).

LCA Tejas - foto 2 Forca Aerea Indiana
Tejas

Vale lembrar que o programa, conforme originariamente concebido, visava adquirir 126 caças, 108 produzidos na Índia e apenas 18 recebidos diretamente do país vencedor da concorrência, na qual a proposta do Dassault Rafale foi selecionada no início de 2012 para negociações exclusivas. A compra, porém, ficou focada neste momento em apenas 36 jatos fornecidos diretamente pela França.

O valor economizado, segundo o ministro Parrikar, servirá para acelerar programas de fabricação de material de defesa na própria Índia. Entre esses programas está o já muito atrasado programa LCA (avião de combate leve), também conhecido como Tejas, que deverá ser introduzido em grande quantidade: a reportagem indiana falou em 200 caças para reequipar 10 esquadrões. O programa do Tejas é uma iniciativa indiana que remonta à década de 1980, com primeiro voo em 2001.

Postar um comentário