Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Embraer poderia interromper a produção do KC-390 se o governo brasileiro não definir os pagamentos

Javier Bonilla | Defensa.com

CEO da Embraer Frederico Fleury Curado disse que a empresa ainda não tem planos para abrandar o desenvolvimento de seu principal produto no campo de defesa - a aeronave de transporte militar KC-390 - devido ao atraso de pagamento das parcelas devidas do governo brasileiro, embora tenha dito que, para durar mais tempo do padrão, esse já seria uma possibilidade. O executivo disse que se o governo deixar de pagar os programas a empresa será forçada a parar a produção. "Nós vamos pagar o resto do seu próprio desenvolvimento", disse ele. Dependendo da situação, disse ele, o impacto será refletido no cronograma de entrega, que será mais lento.


As perspectivas para as exportações de produtos de defesa, tais como KC-390 (ainda em dúvida) e o Super Tucano deve equilibrar qualquer redução unilateral de investimentos brasileiros, de acordo com Curado. O presidente da Embraer disse que a empresa vai se concentrar em seus três programas de grande defesa, que são o KC-390, integração de sistemas de satélites geoestacionários da Defesa e Comunicações Brasil (SGDC) e as fronteiras sistema de vigilância integrado (Sisfron). O diretor financeiro e de relações com investidores da Embraer José Antônio Filippo, disse por sua participação em uma conferência de imprensa que o montante total a receber pela Embraer nos programas que a empresa tem com o Comando da Aeronáutica é cerca de 300 milhões.

Desse total, cerca de 200 milhões referem-se a KC-390, que está sendo produzido para a Força Aérea Brasileira (FAB). A Embraer recebeu o primeiro pagamento dos juros de mora no montante de US $ 44 milhões no início de abril. Em um comunicado divulgado quinta-feira passada, a Embraer informa que as contas a receber aumentou 195 milhões dólares no primeiro trimestre em comparação com o quarto trimestre. A dívida total ascendia a 800 milhões, refletindo o alongamento dos ciclos de pagamento de alguns clientes, especialmente no segmento de defesa e segurança.

A participação do segmento de defesa e área de segurança da receita total da Embraer caiu 31,8% no primeiro trimestre 2014-20% no mesmo período deste ano. O declínio nas exportações de Super Tucano ou, ainda mais, em uma das versões militares do ERJ-145, juntamente com a crise Argentina ou indecisão de Portugal, colocaria em risco o futuro imediato da KC 390 programa internacionalmente.


Postar um comentário