Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Estado Islâmico obtém o controle de Ramadi, no Iraque, a 100 km de Bagdá

'Ramadi caiu e os militares estão fugindo', disse o porta-voz da província.Na sexta, EI havia conseguido avançar sobre a sede do governo local.


Do G1, em São Paulo

Integrantes do Estado Islâmico tomaram controle da cidade iraquiana de Ramadi, que fica a 100 km da capital, Bagdá. Nem o intenso ataque aéreo liderado pelos Estados Unidos impediu os extremistas de avançar sobre a região.

Fotografia da Associated Press mostra tropas iraquianas se retirando de Ramadi, capital da província de Anbar, a 115 km de Bagdá. (Foto: AP)Fotografia da Associated Press mostra tropas iraquianas se retirando de Ramadi, capital da província de Anbar, a 115 km de Bagdá. (Foto: AP)

Segundo a agência Reuters, os combatentes do EI tomaram uma importante base militar neste domingo (17), o que forçou o primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, a autorizar o emprego de forças paramilitares xiitas para retomar o controle de uma província de maioria sunita.

Membros das Forças Armadas disseram que tiveram de deixar o Comando de Operações de Anbar depois que foram atacados pelos insurgentes. Um dos oficiais, que falou sob condição de anonimato, contou que os rebeldes chegaram a pedir via megafone que os soldados iraquianos deixassem suas armas, com a promessa de voltarem para casa em segurança.

"Agora estamos cercados dentro do Comando de Operações por Daesh, e estão chovendo bombas de morteiro", disse um oficial militar dentro da base. Daesh é um acrônimo árabe para o Estado Islâmico. "Os combatentes do Daesh estão em quase todas as ruas. É uma situação caótica e as coisas estão saindo fora do controle. Ramadi está caindo nas mãos do Daesh", disse o oficial.

Ramadi, capital da província de Anbar, é a primeira grande cidade a ser conquistada pelos Estado Islâmico no Iraque desde que as forças de segurança e grupos paramilitares começaram a forçá-los a retroceder, no ano passado, com a ajuda dos bombardeios realizados pela coalizão liderada pelos Estados Unidos.

Segundo o "USA Today", o porta-voz da província de Anbar, Muhannad Haimour, disse que a cidade havia caído e estava tomada. "Os militares estão fugindo", confirmou Haimour.

Os extremistas passaram a dominar a maior parte de Ramadi na sexta-feira (15), fincando sua bandeira negra na sede do governo local no centro da cidade. Entretanto, um contingente de forças especiais iraquianas conseguiu deter o grupo no bairro de Malaab.

O Pentágono, sede da Defesa dos EUA, se manifestou no fim da tarde deste domingo sobre o assunto. De acordo com a porta-voz da instituição, Maureen Schumann, “é muito cedo para tecer comentários sobre a situação na região.

Ela acrescentou dizendo que “os Estados Unidos continuam a monitorar o difícil combate em Ramadi e a situação permanece fluida e contestada”.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas