Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

EUA assumem responsabilidade por morte de crianças na Síria

Os Estados Unidos finalmente reconheceram que as Forças Armadas norte-americanas foram responsáveis pela morte de duas crianças em consequência de um bombardeio realizado na Síria em 2014.


Sputnik

Essa é a primeira vez que Washington assume a responsabilidade pela morte de civis na Síria. O ataque em questão, segundo o exército dos EUA, teria ocorrido em novembro, na cidade de Harim, contra instalações do grupo Khorasan. Nesta operação, de acordo com a AFP, também teria sido morto o cidadão francês David Daoud Drugeon, um especialista em bombas ligado à organização extremista e que planejava atentados contra países ocidentais. 


General James Terry diz que os Estados Unidos lamentam por mortes não-intencionais provocadas por ataques norte-americanos na Síria
© REUTERS/ Amer Almohibany

"Nós lamentamos por essas mortes não-intencionais", declarou através de um comunicado o general americano James Terry, chefe do comando militar que lidera a coalizão para bombardear posições terroristas na Síria e no Iraque. O oficial garantiu que, antes dos bombardeios, o exército americano conduziu uma avaliação rigorosa dos alvos, concluindo que aquela área era utilizada unicamente para fins militares pelo Khorasan.

Nessa avaliação, "não havia indicação de que poderia haver crianças nas construções visadas", diz o comunicado, acrescentando que dois adultos não-combatentes também teriam se ferido no ataque, realizado em conformidade com as regras "humanitárias", de "proporcionalidade" e de "necessidade militar" das Forças Armadas americanas e internacionais.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas