Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Força Aérea israelense se une aos gregos para treinar contra sistemas S-300

A Força Aérea israelense realizou um exercício de treinamento conjunto no qual executou missões contra a os sistemas de mísseis terra-ar S-300 que serão enviados da Rússia para o Irã.


Sputnik

O treinamento bilateral foi conduzido contra duas baterias gregas do S-300 estacionadas na ilha de Creta, e aconteceu entre os dias 20 e 30 de abril, quando os israelenses se uniram às manobras INIOHOS-2015 da Força Aérea Grega, um de seus maiores treinos anuais, em que pelo menos 150 aviões de combate de todos os esquadrões gregos tomaram parte.


Um destacamento de S-300 em São Petersburgo
© Sputnik/ Aleksei Danichev

Segundo diversas fontes, Israel mobilizou uma força de dez caças F-16I de quatro esquadrões, e suas aeronaves foram reforçadas por equipes da Força Aérea dos EUA na Europa atuando como controladores de ataque terminal conjunto (JTAC, na sigla em inglês).

Israel adquiriu dados técnicos sobre o S-300, capaz de atingir alvos aéreos a uma distância de 150 km e a altitudes de até 27 mil metros, e realizou as manobras a fim de testar diferentes táticas contra o sistema, em ataques simulados contra alvos terrestres protegidos pelas baterias gregas.

A Grécia, por sua vez, adquiriu os S-300 da Rússia no final de 1990, sendo o único membro da OTAN que tem o sistema em serviço.

No mês passado, o ministro da Defesa grego, Panos Kammenos, em uma visita a Moscou para uma conferência sobre segurança global, disse que Atenas estava em negociações com o governo russo para a compra de novos mísseis para seus S-300, bem como para a manutenção de seus mísseis S-300, Top M-1 e Kornet.

Em 2007, a Rússia e o Irã assinaram um contrato para o fornecimento de cinco baterias do sistema S-300 a Teerã, mas em 2010 a transação foi suspensa devido às sanções impostas pela ONU contra o programa nuclear iraniano. Em 13 de abril deste ano, após a conclusão bem-sucedida das negociações internacionais em Genebra que chegaram a um acordo nuclear com o Irã, o governo russo suspendeu a proibição sobre a venda dos sistemas S-300.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas