Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Força de Defesa Aeroespacial da Rússia ganhará novos simuladores do Pantsir-S1 em 2015

O serviço de imprensa do Ministério da Defesa da Rússia informou hoje que os soldados da Força de Defesa Aeroespacial poderão em breve desenvolver suas habilidades com novos simuladores do sistema de artilharia antiaérea Pantsir-S1.


Sputnik

A ser entregue ainda este ano, esse sistema móvel combina canhões automáticos de tiro rápido de 30 mm, mísseis teleguiados, sensores eletro-óticos, radares de controle de fogo e outros modernos equipamentos sobre um mesmo veículo, assegurando a proteção contra veículos aéreos capazes de voar em baixas altitudes e furtivamente (inclusive mísseis de cruzeiro). 


Pantsir-S1
© Sputnik/ Sergei Subbotin

Reconhecido como um dos principais elementos das Forças Armadas da Rússia, o Pantsir-S1 chamou a atenção do governo brasileiro, que manifestou o interesse em utilizá-lo na defesa aérea do Brasil durante a realização dos Jogos Olímpicos de 2016. No entanto, embora os dois países já estejam em fase final de negociação para a compra desse equipamento, alguns especialistas acreditam que o acordo não será concretizado a tempo, devido à atual situação da economia brasileira.

Em entrevista recente à agência Sputnik, o editor-chefe do Portal DefesaNet, Nélson Düring, sugeriu que a viagem da Presidenta Dilma Rousseff à Rússia, em julho, poderá servir para acertar as últimas pendências relacionadas ao negócio. Mas, dado o curto prazo para as Olimpíadas, o sistema dificilmente chegará a tempo de ser utilizado no evento.

“Há uma questão pendente de financiamento, de acertos empresariais, industriais, para a execução do negócio. O ministro da Defesa, Jaques Wagner, acredita que até agosto tudo se resolva. Como a Presidenta Dilma vai para a Rússia em julho, então devemos ter um acerto aí nesse período”, disse ele.



Postar um comentário