Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

França quer acordo com a Rússia sobre os porta-helicópteros Mistral

Paris espera chegar a um acordo com Moscou sobre a entrega de dois porta-helicópteros da classe Mistral para a Marinha russa, publicou o Le Journal du Dimanche.


Sputnik

“Para a França o contrato é significativo tanto por razões diplomáticas quanto financeiras. Autoridades francesas não querem ser vistas como vigaristas e incapaz de cumprir as suas obrigações”, segundo relatou ao jornal um membro do governo francês familiarizado com a situação.


Sevastopol e Vladivostok, os dois navios da classe Mistral encomendados pela Rússia
© AFP 2015/ EAN-SEBASTIEN EVRARD

Se a França tiver sucesso ao chegar a um acordo com a Rússia, Paris seria capaz de pagar uma indenização e não uma multa, acrescentou a fonte. A compensação pode chegar a 50% do que Moscou pagou.

Segundo a fonte, a França está pronta para reembolsar US$ 875 milhões, bem como cobrir as despesas do envio de marinheiros russos ao estaleiro de Saint-Nazaire, onde os porta-helicópteros Mistral foram construídos. Paris também estaria disposta a pagar pelo transporte do equipamento russo.

Os dois navios Mistral, batizados como Vladivostok e Sevastopol, poderiam ser vendidos a um terceiro país, segundo o jornal, acrescentando que os membros da OTAN estão entre os potenciais compradores. “No entanto, seriam tomadas medidas para que os porta-helicópteros não fossem negociados com países que mantêm relações tensas com a Rússia”. A fonte disse também que a Geórgia seria uma nação incapaz de comprar as embarcações. “Evidentemente, o Kremlin veria isso como uma provocação”, publicou o periódico.

No início de maio, surgiram rumores de que a França estaria tentando vender os Mistral para a China, enquanto dois navios de guerra franceses estavam em uma visita de sete dias a Xangai. A Rússia insiste que os porta-helicópteros não podem ser negociados sem a permissão de Moscou.

Rússia e França assinaram o acordo de US$ 1,3 bilhões em 2011. Paris deveria entregar o Vladivostok em novembro de 2014 e o Sevastopol no início de 2015. Nenhum dos navios chegou à Rússia, uma vez que o fornecimento foi suspenso sobre o alegado envolvimento de Moscou na guerra civil ucraniana. O Kremlin negou repetidamente estas alegações infundadas e trabalha pela paz na nação devastada pela guerra.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas